Destaque:

A retrospectiva de Brás Cubas

Tenho grande apreço por Machado de Assis, pois acredito que sua contribuição para a Literatura Brasileira foi muito além de incrementar ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Juventude que segue a Deus e fortalece a Igreja do amanhã

Tríduo em honra a São Paulo / Capela São Paulo - Sapiranga
Valderi da Silva
Irmãos e irmãs.
Quero saudar de maneira especial todos os jovens que aqui se encontram, neste dia do tríduo em honra a São Paulo, padroeiro desta comunidade.
Foi muito interessante a escolha deste tema para o dia de hoje: “Juventude que segue a Deus e fortalece a Igreja do amanhã”. Estamos nos aproximando, aqui no Brasil, da Jornada Mundial da Juventude, uma graça inigualável para a juventude de nossa nação. Mesmo que muitos de nós aqui, não tenhamos a oportunidade de estar lá, onde estarão jovens de muitos lugares do mundo, nos enriquece saber que a vitalidade da juventude se faz mostrar ao redor do Sucessor de Pedro, mostrando que ser jovem não significa viver alheio a Deus e Sua Igreja. Este tema que hoje nos é oferecido pode nos levar a várias reflexões, mas quero propor-lhes alguns pontos nele inspirado: [1] o jovem não precisa ser do mundo para ser feliz; [2] a juventude é a expressão da vitalidade e dinamicidade dos seguidores de Jesus Cristo; [3] uma juventude que precisa canalizar sua energia também para esclarecer sua fé.
[1] Em nosso tempo, parece cada vez mais incisiva a ideia de “viver o hoje” sem preparar o amanhã, muito a favor daquela ideia que rodeia as escolas e meios de comunicação sobre a aparente necessidade de se “viver feliz agora” a todo custo. Os jovens são as presas mais fáceis a este tipo de pensamento, pois falta-lhes algo que vem necessariamente com os anos, a sabedoria para discernir, e isso não é um defeito, mas se trata de um processo natural do ser humano, que precisa de tempo para crescer, não somente no corpo, mas principalmente na mente e no coração. Quando digo que o jovem não precisa ser do mundo para ser feliz, estou precisamente querendo dizer isso: o jovem precisa perceber que não é necessário imitar as modas e costumes que os grupos “mundo a fora” dizem que é bom e bonito, para encontrar a felicidade. Aliás, precisa-se abrir os olhos da razão para ver que, estes modismos e “coisas da hora” não trazem a felicidade, são como um comprimido efervescente, após algum tempo some a agitação e a aparente beleza, e a pessoa vive vazia, pois aquilo que ela achava ser bom e bonito não a preenchia, não trazia a felicidade.
Um jovem cristão busca, pelo contrário, esta felicidade, ou seja, aquilo que realmente o vai preencher, que realmente vai dar sentido a sua vida, primeiramente no amor a Deus e as coisas de Deus. Somente Ele, que é o infinito, a felicidade eterna, é que pode preencher e fazer crescer a mente e o coração. Não quero dizer que o jovem, por ser cristão, não pode ter amizades e ter os momentos de diversão com os amigos, estou dizendo que é preciso fazer isso sabendo que não se pode “comprar” tudo o que se oferece como superior a felicidade que Deus pode nos dar, ou seja, um jovem realmente vive feliz e realizado quando segue a Deus acima de tudo e todos.
O que realiza de verdade os jovens cristão? O conhecimento e o amor a Deus. Algo simples de entender mas que deve ser buscado por todos, a fim de terem o alicerce que sustentará toda a sua vida, e não somente um momento, como o faz os prazeres mundanos. É por isso que digo com toda serenidade que somente a Verdade nos permite ter: o jovem não precisa ser do mundo, isto é, viver como o mundo indica, para realmente ser feliz, mas pelo contrário, certamente não será plenamente feliz se busca seguir as regras do mundo e não o amor de Deus.
[2] A juventude é a expressão da vitalidade e dinamicidade dos seguidores de Jesus Cristo. Não devemos pensar apenas fisiologicamente, mas como se trata de ver tudo com os olhos da fé, também é necessário ver que esta “energia” juvenil presente na Igreja de Cristo é o que favorece a jovialidade da mesma Igreja. Todos olham para eventos como a Jornada Mundial da Juventude, meio que surpresos por verem tantos jovens reunidos por causa da fé, tentando seguir mais de perto o Santo Padre, Vigário de Cristo na terra. Esta surpresa não deveria ser normal, pois o normal deveria ser que vejamos sempre os jovens presentes no seio da Igreja, para justamente favorecer esta vitalidade a todas as expressões da fé eclesial.
Na Igreja sempre entendemos que um espírito jovem não obedece necessariamente a idade biológica, pois é o Espírito de Deus quem nos deixa sempre dinâmicos, juvenis. Como disse a Igreja encontra nos jovens a expressão de sua vitalidade, mas todos os cristãos são favorecidos por esta animação do Espírito, ou seja, todo cristão é um “jovem de Deus”.
[3] Esta juventude, depois de perceber que necessita mais de Deus que qualquer outra coisa, precisa canalizar sua energia juvenil também para esclarecer sua fé. Falando novamente da Jornada Mundial da Juventude, a primeira delas aconteceu na cidade de Roma, no ano de 1986, e o lema era precisamente isso: “estejam preparados para responder a qualquer que lhes pedir a razão da esperança que há em vocês” (1Pd 3,15). Estamos vivendo o Ano da Fé, promulgado pelo Papa Emérito Bento XVI, e ele está aí justamente para nos mover a buscarmos mais a “razão de nossa esperança”, para que possamos nos dedicar mais a entender nossa fé, saber o porque cremos e o que cremos, para poder responder àqueles que nos perguntam os motivos de nossa fé.
O Beato João Paulo II gostava de repetir aos jovens, para que não tenham medo, para que sejam audaciosos, para que se joguem nesta aventura do conhecimento da fé em Jesus Cristo. Mais do que fazer isso para obter conhecimentos, isto se faz necessário em primeiro lugar ao próprio indivíduo, sendo ele mesmo o primeiro e principal beneficiário desta aventura no conhecimento da fé. O jovem tem energia para isso, tem disposição para isto. Precisamos encorajarmo-nos sempre mais a buscarmos o verdadeiro conhecimento de Jesus Cristo, que está a disposição na fé de Sua Igreja.
Não podemos dizer que o futuro da Igreja depende dos jovens, pois a Igreja tem futuro por causa de Cristo, Ele é o futuro da Igreja. Mas os jovens de ontem, de hoje e os de amanhã são a cara mais límpida e pulsante desta Igreja peregrina sobre a terra.
São Paulo, Apóstolo, certamente intercede por aqueles que fielmente e sinceramente buscam a Deus. Pedimos que ele possa interceder eficazmente por todos os jovens desta comunidade, para despertarem e crescerem na fé que a Igreja de Cristo professa.












Nenhum comentário: