Destaque:

El centenario de las apariciones de la Virgem Maria en Fatima

Rosa Caroline Crespo Fernández Valderi da Silva En su visita al santuario de Fátima en 1982, San Juan Pablo II proclamaba que "a ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

terça-feira, 21 de maio de 2013

Os três casos de exorcismo realizados por João Paulo II

[O terceiro caso]

Na ofensiva A luta contra Satanás, anjo que desafiou Deus na origem do mundo, durará até o final dos tempos, prega a Igreja Católica.
O peso dos 80 anos de idade e os sintomas do mal de Parkinson não impediramo papa João Paulo II de enfrentar seu maior inimigo: Satanás, um anjo tão degradado que desafia Deus e tenta desviar a humanidade para o pecado e a infelicidade, segundo a tradição católica. Aconteceu na tarde de 6 de setembro. O pontífice recebeu na Santa Sé uma italiana de 19 anos que apresentava sinais de possessão demoníaca. Ela urrava palavras estranhas e sentia-se agredida por símbolos cristãos, como a cruz. A batalha de orações durou 30 minutos. João Paulo II abraçou-a e rezou para livrá-la da influência maligna. Não chegou a cumprir os longos rituais do exorcismo, que incluem a leitura de textos bíblicos e até um interrogatório ao diabo. Fez o que a Igreja chama de exorcismo menor. Concedeu a bênção, e a garota se acalmou. Horas depois, ela mergulhou em nova crise. Não estava curada.
A identidade da jovem foi mantida em segredo. Sabe-se que ela vive na região da Úmbria, no norte da Itália, e tem surtos desde os 12 anos. Médicos e psiquiatras tentaram, em vão, curá-la. Antes de recorrer ao papa, a garota foi atendida pelo padre Gabriele Amorth, exorcista-chefe de Roma, mas não reagiu aos rituais. Então, levaram-na à Praça São Pedro, para assistir à audiência semanal de João Paulo II. Surpreendentemente, ele decidiu recebê-la. Foi a terceira vez, em 20 anos de pontificado, que o papa assumiu pessoalmente a missão de exorcizar.
Neste dia 6 de setembro de 2000, a bordo do papa-móvel, João Paulo abençoava a multidão na Praça São Pedro quando uma jovem italiana começou a gritar insultos, com voz rouca O bispo Gianni Danzi, secretário-geral da Cidade do Vaticano, tentou acalmá-la com um crucifixo. A jovem passou a afrontá-lo e a dizer frases desconexas Avisado, o papa recebeu-a no Vaticano. Rezou e prometeu celebrar missa para "conseguir sua libertação". O efeito foi temporário. Ela voltou a ficar agitada horas depois
[O segundo caso]

O segundo combate contra Satanás foi registrado nas memórias do cardeal francês Jacques Martin, morto há oito anos. No dia 4 de abril de 1982, João Paulo II cumpriu as regras canônicas do exorcismo com uma mulher italiana identificada como Francesca F. O cardeal deixou o seguinte relato: "Ela rolava pelo chão, berrando. O papa começou a rezar, pronunciando em vão vários exorcismos, e disse à mulher: 'Amanhã rezarei uma missa por ti'. Repentinamente, Francesca voltou ao normal e pediu desculpas ao pontífice.
Um ano depois, perfeitamente curada, compareceu com o marido a outra audiência com o papa".

[O primeiro caso]

Sabe-se pouco sobre o primeiro ritual, ocorrido no final dos anos 70.

(Extraído do blog http://exortacaoeavisos.spaceblog.com.br)

Nenhum comentário: