Destaque:

A retrospectiva de Brás Cubas

Tenho grande apreço por Machado de Assis, pois acredito que sua contribuição para a Literatura Brasileira foi muito além de incrementar ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Terça-feira - Is 40,1-11 Mt 18,12-14

II Semana do Advento

Pe. Valderi da Silva

Hoje ouvimos no Evangelho o anseio de Jesus em cumprir a Vontade do Pai, de que não se perca nenhuma alma criada e amada por Ele. Sabemos desta intenção de Deus, sabemos que Seu plano divino e misterioso inclui a busca insesante daqueles que se desgarram, daqueles que, por vários motivos, acabam partindo de Sua presença. Como deveríamos nos sentir? Como deveríamos nos postar? Em algumas palavras, São João Eudes, nos mostra, como em oração.

Foste Tu, Senhor que me fizeste nascer de meu pai e me formaste no seio de minha mãe (Sl 138,13); foste Tu que me trouxeste à luz como uma criança totalmente nua, porque as leis da nossa natureza obedecem perpetuamente às Tuas ordens. A minha vida e a minha existência não se devem à vontade do homem nem a um impulso da carne (Jo 1,13), mas à bênção do Espírito Santo e à Tua graça inexprimível. Tu preparaste o meu nascimento com uma delicadeza que está para além das leis da nossa natureza. Fizeste-me nascer adotando-me como Teu filho (Gl 4,5), e inscreveste-me entre os membros de Tua Igreja santa e imaculada.

Foste Tu que me alimentaste com o leite espiritual, isto é, o leite de Tuas palavras divinas. Foste Tu que me fortaleceste com um alimento sólido, o corpo de Jesus Cristo, nosso Deus, Teu único Filho, o santo, e me inebriaste com o cálice de Deus, quer dizer, a taça do Seu sangue que dá vida, e que Ele derramou para a salvação do mundo.

Tu amaste-nos, Senhor e deste o Teu Filho por nós, para nossa redenção, que Ele assumiu voluntariamente e sem resistência. [...] Assim, ó Cristo, meu Deus, abaixaste-Te para me carregares nos Teus ombros, a mim, a ovelha perdida (Lc 15,5), e levaste-me a pastar em verdes prados (Sl 22,2); refrescaste-me nas fontes da verdadeira doutrina (ibid.) por intermédio dos Teus pastores, de quem Tu próprio foste pastor antes de lhes confiares o Teu rebanho.

(São João Eudes. Presbítero, pregador, fundador de institutos religiosos, 1601-1680)

Mas também existe a postura de colaboração com o Senhor:

Do mesmo jeito que Jesus, os cristãos devem ter esse mesmo sentimento: que todos os homens se salvem e cheguem ao conhecimento da verdade! Como dizia São Josemaria Escrivá, «todos somos ovelha e pastor». Há algumas pessoas —o próprio esposo ou a esposa, os filhos, os parentes, os amigos, etc.— para os quais nós talvez sejamos a única oportunidade para poderem recuperar a alegria da fé e da vida da graça.

(Do comentário de Rev. D. Joaquim MONRÓS i Guitart (Tarragona, Espanha)

Esta postura pode nos auxiliar o Senhor a reconduzir muitos filhos de Deus de volta a casa do Pai.

Nenhum comentário: