Destaque:

A retrospectiva de Brás Cubas

Tenho grande apreço por Machado de Assis, pois acredito que sua contribuição para a Literatura Brasileira foi muito além de incrementar ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Mensagem para o Natal de Nosso Senhor

Mensagem para o

NATAL DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO

25 de dezembro de 2012

Pe. Valderi da Silva

A todos os irmãos e irmãs na fé em Cristo Jesus.

1.No curso de nossa vida terrena, temos a possibilidade de aprender com Jesus Cristo tudo o que nos favorece uma vida santa e digna de filhos de Deus. Constantemente precisamos lembrar de nossa alegria por saber-se fundamentados em algo real, ou melhor, em uma pessoa real, que nasceu, cresceu e viveu entre nós. Dele aprendemos a verdadeira face de Deus, assim como aprendemos a discernir Sua vontade. Aprendemos também que Deus não pensa e age como o ser humano, e que por isso, nem sempre Ele está onde o procuramos. Aprendemos que a humildade é substrato de uma verdadeira vida “divina”, mesmo possuindo grande riqueza e poder. Na Santa Igreja de Cristo, vivenciamos todos os momentos desta vida singular do Menino Deus que agora celebramos. É na Sagrada Liturgia da Igreja que acompanhamos o desenrolar desta vida divina junto da humanidade pecadora. É desta Liturgia, que reúne o memorial da Páscoa de Cristo e a proclamação da Palavra de Deus, que desejo tirar a mensagem para este Natal.

2.Antecedendo o evento em Belém, do nascimento do Salvador, fatos importantíssimos ocorreram desde a Anunciação, um deles desejo destacar nesta mensagem. O evangelista São Lucas nos narra o nascimento de São João Batista (Lc 1,57-66), menino que desde a concepção prodigiosa fora escolhido por Deus para ser aquele precursor do Salvador. Logo em seguida vêm um dos mais belos e significativos cânticos no Novo Testamento. São Zacarias, envolto pela dúvida da concepção e geração do menino, fica desde o conhecimento do fato, sem pronunciar palavras, diz o evangelho que ficou “mudo” porque não creu nas palavras do Anjo Gabriel que apareceu-lhe quando estava dentro do Santuário (Lc 1,8-20). Este fato já nos traz um pouco sobre a importância da fé, pois sem ela não nos é possível colaborar com a Vontade de Deus, pois substituindo a fé, estará sempre a dúvida e o medo, dois obstáculos para a ação de Deus na vida do ser humano. Inseridos no Ano da Fé, convocado pelo Santo Padre Bento XVI (outubro de 2012 à novembro de 2013), é importante percebermos que a Fé precisa ser amadurecida, e para isto, conhecê-la mais, para saber vivê-la mais perfeitamente. O medo pode ainda surgir em determinados momentos, principalmente quando surge situações inesperadas e aparentemente inexplicáveis, mas a dúvida nunca deve prevalecer naquele que têm esta fé amadurecida e esclarecida. São Zacarias experimentou o medo e a dúvida, não conseguiu vencer a dúvida e transformou-a em questionamento diante do mensageiro de Deus (cf. Lc 1,18).

3.Nos versículos que seguem a circuncisão de São João Batista – rito de iniciação para os judeus do sexo masculino – vemos o sinal que antes fora predito pelo anjo a São Zacarias (cf. Lc 1,20), isto é, repentinamente São Zacarias torna a falar, deixando a mudez que o atrapalhava ao se comunicar. Inebriado pelo Espírito Santo, louva a Deus por suas maravilhas entre Seu povo, e junto a esta louvação profetiza a cerca do Menino que ainda viria a nascer. Suas palavras neste cântico, transmitem o grande amor de Deus para com a humanidade e Sua grande misericórdia, pois apesar de andarmos muitas vezes afastados Dele, continua a vir em nosso socorro. Utilizando palavras dos Salmos e dos Livros Proféticos, São Zacarias vai desenrolando um louvor que nasce de um coração consciente da atuação de Deus na história humana: “Bendito seja o Senhor Deus de Israel, porque visitou e redimiu o seu povo” (Lc 1,68). São palavras de uma oração confiante no Deus que seu povo sabia existir, apesar de muitas vezes duvidar, ou seja, ter pouca fé. São Zacarias só conseguiu louvar e profetizar porque eliminou a dúvida a respeito das ações de Deus. Sua fé crescer e amadureceu, e por esta razão, não deixou mais lugar a questionamentos acerca da Vontade Divina.

4.Revive palavras proféticas já conhecidas do Antigo Testamento a respeito da promessa messiânica, crendo que se realizou a visita tão espera daquele prometido, o rebento da estirpe de Davi, o que trará força para a salvação de todos os povos (cf. Sl 111,9). Mergulhado na alegria pela salvação diante do perigo que os inimigos apresentam, São Zacarias evoca os santos profetas que tanto transmitiram a mensagem de Deus ao povo, principalmente a de salvação, enquanto estiverem unidos a Deus. Certamente este perigo diante de muitos inimigos assusta aqueles que se consideram fracos diante do mundo. Em nosso tempo, passamos por situações que certamente nos lembram que a salvação nos vêm somente Deus, para que não nos caia o desânimo e a frustração diante de tantas investidas dos inimigos. Hoje conhecemos mais do que nunca os perigos que o afastamento de Deus pode nos trazer, é um abismo onde não se encontra fim, somente a sensação de vazio e escuridão, que o mundo tenta chamar de “liberdade” e “privacidade”, iludindo muito facilmente quem não possui ainda uma fé amadurecida e esclarecida. Os inimigos tentam utilizar-se de muitas armas contra os filhos de Deus, pois seu objetivo é simples como é o mal: afastar o máximo possível os homens e mulheres da Verdade e da justiça. Muitas atitudes em nosso tempo revelam o quanto se tornou urgente a confiança mais fortalecida em Deus, ao ponto de enfrentarmos corajosamente aqueles que tentam destruir o bem, destruindo a dignidade humana, desvalorizando a família e tentando implantar uma “cultura” de morte e promiscuidade. É urgente este esclarecimento da fé, para fortalecê-la diante de um mundo cada vez mais averso a Deus por conta do mal presente na natureza humana. Servir ao Senhor sem temor, na justiça e na santidade (cf. Lc 1,74-75), esta é nossa esperança e nosso objetivo.

5.Com o Menino Deus, nascido na simplicidade de Belém, nos veio tal força para resistirmos e combatermos os inimigos de Deus, com as armas da fé, da esperança e do amor (cf. Lc 11,21; Rm 13,12; 2Cor 10,4). Este Menino Deus, foi antecedido por outro menino que veio para ser chamado de profeta do Altíssimo (cf. Lc 1, 76), já sendo uma manifestação do que viria a ser o Menino nascido da Virgem Maria. Com a missão de preparar os caminhos para aquele que estava por chegar, este menino gerado no seio de Santa Isabel, se torna para nós figura do que podemos assumir diante de Deus, ou seja, sermos também aqueles que preparam a volta do Senhor, ser aqueles que não estão apenas preocupados com sua vida eterna junto de Deus, mas que tentam vencer o mal do mundo para deixar um “caminho plaino” para o retorno glorioso deste Senhor que hoje celebramos.

6.São Zacarias leva-nos a louvar com ele a bondade do Altíssimo para com a humanidade, pois visita-nos para trazer-nos a salvação. Salvação que inicia-se tirando-nos das trevas da ignorância e do pecado, que levam a morte. O Menino esperado nasceu, sua glória vai iluminar toda Terra, sua bondade salvará o gênero humano. Sua justiça ordenará o caos que o pecado instaura. Sua misericórdia perdoará os corações arrependidos, e estenderá Sua mão forte contra todos os que desejam afastar-nos Dele. A Salvação veio até nós, fez-se humilde em uma manjedoura, trouxe consigo não somente a natureza divina, mas nela a esperança da vida eterna longe da corrupção do mal. Neste Tempo do Natal do Senhor, aprendamos a louvar como São Zacarias, reconhecendo as maravilhas que Deus fez por seu povo, e crescendo na esperança de um mundo melhor.

Que a Luz nascida em Belém, encontre portas e janelas abertas nos corações de cada homem e mulher. Deus os abençoe.

 

Pe. Valderi da Silva

24 de dezembro de 2012

Nenhum comentário: