Destaque:

El centenario de las apariciones de la Virgem Maria en Fatima

Rosa Caroline Crespo Fernández Valderi da Silva En su visita al santuario de Fátima en 1982, San Juan Pablo II proclamaba que "a ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

A importância da Cruz para os cristãos

Valderi da Silva
Durante todas as Jornadas Mundiais da Juventude, criadas e iniciadas pelo Beato João Paulo II, dois símbolos foram entregues aos jovens como tesouros confiados às suas mãos: o ícone com a imagem de Nossa Senhora e a Cruz. Em realidade, em grau de maior simbolismo a Cruz antecede o ícone de Nossa Senhora, pois é para os cristãos mais que um mero símbolo, esta ligada diretamente com a Salvação do gênero humano.
[Jesus aponta a cruz como imagem do seu seguimento neste mundo]
Na sociedade em sempre respeitosa com a Igreja Católica e suas manifestações de fé, sempre surgem vozes questionando e vasculhando no fundo de seus raciocínios torpes e já viciados por ideologias e conveniências humanas, argumentos para travar um inútil esforço de desvalorizar a fé cristã, manifesta em seus atos de piedade e devoção. Nestes tempos de JMJ, mais uma vez escutamos questionamentos sobre o porque dos cristãos católicos venerarem tanto uma cruz, que poderia ser trazida como símbolo da morte, do fim de tudo. No entanto, todos estes deixam de lado o próprio Senhor que deu a esta cruz, que antes era somente símbolo de morte e “má sorte”, além de descrença total numa vida após a morte, um sentido novo, transformando-a em caminho para a vida eterna, após os sofrimentos e a morte neste mundo.
A partir de Jesus, nos evangelhos, percebemos que o Senhor nos aponta precisamente a cruz como imagem do seguimento a Ele enquanto estamos neste mundo: “Aquele que não toma a sua cruz e me segue não é digno de mim” (Mt 10,38); “se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me” (Mc 8,34); “se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome a sua cruz cada dia, e siga-me” (Lc 9,23). Numa compreensão mais específica, a cruz se torna muito mais que imagem, pois pode dar a entender que se trata apenas de simbolismo do seguimento. Na verdade, o que indica Jesus é que a cruz deve ser assumida pelos seus seguidores dia a dia, esta cruz que pode ser traduzida pelos variados sofrimentos e contrariedades que enfrentamos. Para uns, esta cruz será a dificuldade em aceitar as exigências dos Mandamentos de Deus, para outros esta cruz será a própria fraqueza do corpo diante das tentações que o mundo oferece, para outros ainda esta cruz se traduzirá pela dificuldade nos estudos, com a família e mesmo com a sociedade que o rodeia. O cristão assume esta cruz, pois deseja andar nos passos de Cristo, onde a contrariedade, a calúnia e a injustiça estão sempre presente, pois o mundo não gosta da cruz assim como não gosta de Cristo.
[Os cristãos levam a cruz consigo como sinal da morte e da vida]
Os que não enxergam a importância da cruz facilmente interrogam a si e aos outros o porque ostentar uma cruz se Cristo esta vivo, não esta morto. Por que levanta uma cruz de madeira se nela não esta mais pendente o corpo de Jesus?
Primeiramente é preciso fazer notar que Jesus nunca falou para que abandonássemos a cruz, deixássemos de considerá-la em nossas vidas, até porque seria uma contradição em sua mensagem nos evangelhos. Os cristãos veneram a Cruz de Cristo precisamente porque é o baluarte da vitória sobre a morte, é o altar onde Jesus Cristo ofereceu-se inteiramente e definitivamente por nós, para que obtivéssemos a salvação tão necessária para a vida eterna junto de Deus.
Cristo ressuscitou, esta vivo! Mas mesmo vivo, a cruz permanece como caminho necessário para que chegasse a esta vitória sobre o aguilhão que prendia o ser humano nas trevas, ainda distante da vida eterna. Isto escandaliza muitos contemporâneos nossos, de modo especial aqueles que confundidos pelo inimigo, tentam sempre desmerecer a Verdade propagada pela Igreja Católica, sempre fiel ao Seu Mestre e Senhor.
“Onde está o argumentador deste século? Deus não tornou louca a sabedoria deste século? Com efeito, visto que o mundo por meio da sabedoria não reconheceu a Deus na sabedoria de Deus, aprouve a Deus pela loucura da pregação salvar aqueles que crêem. Os judeus pedem sinais, e os gregos andam em busca de sabedoria; nós, porém, anunciamos Cristo crucificado, que, para os judeus, é escândalo, para os gentios é loucura, mas para aqueles que são chamados, tanto judeus como gregos, é Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus” (1Cor 1,20-24).
Jesus Cristo, Ressuscitado, é oferta perene na cruz por nós, por este motivo sempre a Cruz será o caminho e sinal dos seguidores de Cristo.
[Morte para o mundo e vida para Deus]
O cristão ao assumir esta Cruz, move-se a morrer para o mundo, por isso continua sendo símbolo de morte, pois é nosso caminho de rechaço às coisas que nos prendem a um lugar ou coisa que nos afasta da união com Deus. A morte para o pecado é tão necessária para a perfeita união com Deus que necessita de um símbolo forte e que se imponha diante da persistência do mal em desencaminhar os filhos de Deus. Este símbolo não poderíamos encontrar com maior força senão onde foi nos conquistada a salvação, pelo sangue preciosismo de Nosso Senhor.
Morte e vida, tudo na Cruz de Cristo que é nossa também, por isso sempre a veneraremos, sempre a teremos como sinal premente de nossa Salvação, pois foi nela que Cristo se entregou, foi numa cruz que Ele optou ofertar-se livremente, sem usurpar-se de sua divindade para aliviar-lhe a dor (cf. Fl 2,6). Se a carregamos nos ombros, se a veneramos, se a ostentamos em nosso peito, em nossas igrejas é porque ainda permanecemos fieis ao seguimento de Jesus Cristo.

Nenhum comentário: