Destaque:

A retrospectiva de Brás Cubas

Tenho grande apreço por Machado de Assis, pois acredito que sua contribuição para a Literatura Brasileira foi muito além de incrementar ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Santos Anjos da Guarda

Ex 23,20-23 Mt 18,1-5.10

Pe. Valderi da Silva

Queridos irmãos e irmãs.

Na liturgia de hoje lembramos daqueles que, apesar de não os vermos sensivelmente, estão sempre presentes junto de nós. Neste dia fazemos memória dos Santos Anjos da Guarda, seres que são criaturas de Deus, como nós, mas de existência diferente, pois são seres espirituais, enquanto nós somos seres espirituais e carnais, de natureza humana. Como criaturas de Deus, obedecem somente a Ele, e na verdade, prestam o mais perfeito louvor pois estão mais próximos do Senhor do que nós que peregrinamos neste mundo. No entanto, cabe lembrar que, estes mesmos anjos não chegam a dignidade que o ser humano chegou em Jesus Cristo, que nos elevou acima dos anjos, tornando-nos filhos de Deus.

Já no Antigo Testamento percebemos a existência certa destes seres espirituais e o conhecimento do povo de Deus desta existência, algo que podemos concluir da confecção de dois anjos – Querubins – junto a Arca da Aliança (cf. Ex 25,18-20), numa posição de louvor perene ao que foi entregue pelas mãos de Deus. De fato, desde o livro do Gênesis (cf. Gn 16,7; 21,17; 24,7; 28,12; 32,2) até o livro do profeta Zacarias (cf. Zc 1,9; 3,1; 4,5), encontramos várias menções a estes seres de natureza espiritual, que estão entre os homens para cumprir alguma missão lhes incumbida.

Pois estes anjos do Senhor, estão sempre a cumprir uma missão entre os homens, seja algo específico como anunciar uma boa nova (cf. Lc 1,26-27), seja para nos guardar de todos os males, como nos diz o livro do Êxodo, “vou mandar um anjo que vá à tua frente, que te guarde pelo caminho” (Ex 23,20). Eles são enviados para nos orientar e guardar, ou seja, ao mesmo tempo que nos guardar dos males, nos desviando daquilo que nos traria um mal, também nos orientam no caminho que estamos percorrendo. Em palavras semelhantes no fala o Beato João XXIII:

"Assim como nesta existência terrena, preocupam-se os pais em colocar junto aos seus filhos alguém que os proteja e ajude nas adversidades, quando eles precisam empreender uma viagem cheia de ciladas e obstáculos; do mesmo modo, o Pai dos céus encarregou os Santos Anjos de solicitamente nos ajudar e proteger durante nossa viagem rumo à Pátria celestial, para cada um de nós poder evitar os ardis, dominar as paixões e, guiados por eles, nunca abandonar a via reta e segura que conduz ao Paraíso."

(João XXIII, Discurso de 2 de outubro de 1960)

Podemos nos perguntar: o anjo que recebeu por missão, guardar-me e orientar-me, pode abandonar a missão, pode deixar de estar comigo? É fácil dizer que sim ao pensarmos que, conscientemente, podemos optar pelo pecado e pelo mal, mas a reposta mais acertada é que nunca o Anjo que esta a nos guardar pode nos abandonar, mesmo que vivamos muito longe do bem. Isto porque este anjo recebeu esta única missão, de enquanto vivermos estar sempre ao nosso lado, mesmo que não o queiramos, pois nunca Deus desiste dos seus, de modo que, permitir que tal anjo da guarda se afastasse de alguém, seria afirmar que Deus desistiu de tal pessoa, entregando-a definitivamente a suas obras más.

Este anjo da guarda, permanece ao nosso lado enquanto vivemos neste mundo, pois sua missão se refere somente a este período visto que é aqui que podemos nos perder, de modo que ao partirmos deste mundo ao Pai, já estamos prontos a não precisar mais de seus auxílios. Precisamos notar que este anjo da guarda não é um escravo, nem uma espécie de robô, ele possui inteligência e vontade (exemplo de Lúcifer que agiu com sua vontade e inteligência), mas é justamente por este motivo que louva e obedece fielmente a Deus.

A estes seres espirituais que tão diligentemente estão a nos acompanhar nesta vida, rendamos nossa veneração, pois eles querem ter este convívio íntimo conosco, assim como o temos com os santos. Dirijamos a eles nossas orações da noite e também durante o dia, expressemos a eles nossa confiança em sua proteção, que isto principalmente se possa fazer e ensinar às crianças, pelos quais este Anjos da Guarda sempre mantêm mais atenção, visto serem os amados de Deus. Jesus no evangelho nos fala do amor pelos pequeninos e de como seus Anjos estão constantemente diante de Deus pedindo pela proteção contra todo o mal (cf. Mt 18,10).

Nenhum comentário: