Destaque:

El centenario de las apariciones de la Virgem Maria en Fatima

Rosa Caroline Crespo Fernández Valderi da Silva En su visita al santuario de Fátima en 1982, San Juan Pablo II proclamaba que "a ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Quinta-feira – 1Cor 1,1-9 Mt 24,42-51

XXI Semana do Tempo Comum

Pe. Valderi da Silva

Paulo nos mostra, através de sua lucidez a respeito da vida santa que cada ser humano deve ter, que estamos chamados igualmente a santidade, independente dos pecados individuais. Estamos todos cercados pelas brechas que nossa vida corruptível nos oferece, estas que nos levam tão facilmente ao pecado. No entanto, temos este chamado de Deus para nossa vida e o considerando, nos vemos obrigados a trabalhar constantemente para evitar os males e estar somente com o bem, ou seja, com o que é próprio de uma vida santa. É por isto que ouvimos Paulo dizer a comunidade dos Coríntios: “aos que foram santificados em Cristo Jesus, chamados a ser santos” (1Cor 1,2). Aqui Paulo nos deixa evidente sua certeza teológica a respeito da santificação conquistada por Cristo a todos os que O acolhem em suas vidas, algo que entre os cristãos se dá de modo efetivo através do Batismo. Neste sacramento, somos “indelevelmente” chamados a santidade, algo que não exclui a possibilidade do pecado.

Nesta carta do Apóstolo dos Gentios, ainda nos firmamos num ponto que muitas vezes é reafirmado, mas que nunca será esgotado. “Nele fostes enriquecidos em tudo, em toda palavra e em todo conhecimento, à medida que o testemunho sobre Cristo se confirmou entre vós” (1Cor 1,5). Se trata exatamente da real permanência da graça divina junto daqueles que Ele chamou a Si, e que portanto, nos leva a considerar as variadas maneiras de Deus nos alcançar e entregar estas graças a seus filhos. Podemos enxergar, nestas palavras de Paulo o que a eficácia dos sacramentos da Eucaristia e da Confirmação (Crisma) oferecem ao cristão. Pois é através do Pão do Céu, que de maneira excelente, Cristo nos enriquece, com Sua presença real e visível, mas também com sua presença sensível em nossas almas. Junto a Eucaristia não devemos esquecer da Palavra de Deus, fonte de enriquecimento do cristão, perene ensinamento da Vontade de Deus. É interessante perceber que Paulo dá especial valor ao testemunho entre nós, caracterizando de certa forma, o que o próprio sacramento da Confirmação nos deve mover. De fato, pela inspiração do Espírito Santo, somos movidos ao testemunho de nossa fé, sendo assim, enriquecidos e enriquecedores, tudo por Cristo e em Cristo.

O que Paulo nos lembra nestas palavras dirigidas a comunidade de Coríntios, deve ser visto também a respeito do que Jesus nos recorda neste evangelho. “Ficai atentos! Porque não sabeis em que dia virá o Senhor” (Mt 24,42). Fica claro ao pensarmos nestas palavras de Jesus tendo já ouvido Paulo. É necessário estar preparado, mas como? Principalmente correspondendo ao chamado do Senhor, que nos pede a santidade de vida, pois é justamente através dela que todas as boas obras que o ser humano pode e deve realizar serão possíveis.

Mas olhando para adiante destas palavras iniciais de Jesus, podemos ficar pensando no exemplo que nos dá. Ele certamente acaba se referindo também ao fins dos tempos, de modo que podemos pensar em Sua segundo vinda, que será a volta do Filho de Deus, em toda a sua glória. Este tempo de espera é justamente para que consigamos viver a santidade a qual somos chamados, pois sabemos que dura algum tempo se desfazer do “homem velho” para revestir somente da graça de Deus e viver segunda ela.

Penso que, devemos gravar o apelo que esta liturgia nos faz para que não percamos tempo, não brinquemos com uma vida de pecado, não protelemos a vida santa que Deus sabe ser necessária para uma união perfeita com Ele. Já recebemos o chamado e o auxílio necessário, o que esperamos então? Esta pergunta ressoa na liturgia de hoje, mas deve ressoar sempre em nossos corações.

Nenhum comentário: