Destaque:

A retrospectiva de Brás Cubas

Tenho grande apreço por Machado de Assis, pois acredito que sua contribuição para a Literatura Brasileira foi muito além de incrementar ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

terça-feira, 17 de julho de 2012

Terça-feira – Is 7,1-9 Mt 11,20-24

XV Semana do Tempo Comum

Pe. Valderi da Silva

Nesta passagem do livro de Isaías, escutamos a triste investida de homens crentes em Deus contra eles mesmo, insurgindo-se contra seus irmãos por causa de ilusórias ideias de poder territorial. Isto serve-nos para mostrar o quanto dentro da própria comunidade cristã, dentre os próprios irmãos e irmãs, pode haver o esquecimento das virtudes que nos sustentam na Vontade de Deus e assim nos colocar como em guerra contra aqueles que supostamente nos ameaçam.

É este esquecimento do que se deve viver que faz homens e mulheres levantarem-se contra os que, como eles, aprenderam a crer em Deus. Este levante é repugnante aos olhos de Deus, pois é expressão clara de quanto deixamos de ter fé Nele para depositar nossa fé em nós mesmos, fazendo tudo para nos ostentarmos mais e mais. Numa comunidade cristã isto pode se expressar nas coisas mais simples, desde alguém que deseja estar sempre buscando notoriedade em determinado grupo, não deixa de ser a clara visão de alguém que deixou de viver as virtudes da humildade e da fé, para considerar mais importante seu “enriquecimento” e “poder”.

De fato, isto nos pode fazer pensar em como deixamos muitas vezes nos levar pelos desejos e impressões. Alguns podem pensar “eu seria mais notada se estivesse na frente deste grupo...”, ou “preciso sempre falar com afirmação para que vejam o quanto sou decisivo...”. Isto expressa de forma simples a atitude de deixar o envaidecimento falar mais alto que a vontade de Deus em nossa vida. Mas Ele nos diz que é a fé que pode ajudar a nos precavermos deste mal, não deixando que nos apartemos do amor fraterno para com nossos irmãos, sempre vivendo a humildade.

Jesus Cristo [icone]Considerando esta primeira leitura da profecia de Isaías, olhamos para o evangelho de hoje (Mt 11,20-24). Numa clara mensagem de Cristo, vemos o destino daqueles que receberam todos os meios para a salvação mas não aceitaram, resistiram a Deus e aquilo que Ele mesmo nos trouxe para nossa salvação.

Evidentemente, vemos nestas palavras de Cristo o que pode acontecer com quem não aceita a realidade da Salvação: pois bem! Eu vos digo: no dia do julgamento, Tiro e Sidônia serão tratadas com menos dureza do que vós (Mt 11,22). Pois assim como Corazim, Betsaida e Cafarnaum, os homens e mulheres de nosso tempo tiveram o contato com a Palavra de Deus, isto através de diferentes formas. Hoje, quase ninguém neste mundo pode dizer que não conhece a Cristo, Sua mensagem de salvação, por isso, estas palavras de Cristo já não se referem a uma cidade que não conhecia Ele e a clara mensagem da salvação como Sodoma.

O simples conhecimento da mensagem de Jesus Cristo já nos obriga a uma adesão a Ele. Sua é tão clara e necessária que nenhum homem e mulher possuem argumentos suficientemente fortes a ponto de ter razão por não seguir a Cristo e se converter.

A comunidade cristã, conhecendo a Jesus e procurando sempre o seguir não pode se escusar destas palavras de Cristo, pois elas especialmente estão dirigidas a nós, que somos integrantes desta comunidade, pois O escutamos frequentemente e conhecemo-Lo sempre mais, e, neste contato frequente com Ele, presenciamos também seus milagres, de modo que a medida que cresce nosso contato com Cristo cresce nossa responsabilidade com a correspondência à graça que Dele recebemos.

Nenhum comentário: