Destaque:

El centenario de las apariciones de la Virgem Maria en Fatima

Rosa Caroline Crespo Fernández Valderi da Silva En su visita al santuario de Fátima en 1982, San Juan Pablo II proclamaba que "a ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

quarta-feira, 25 de julho de 2012

São Tiago, Maior

2Cor 4,7-15 Mt 20,20-28

Pe. Valderi da Silva

A Igreja celebra neste a festa de São Tiago apóstolo, também chamado de o Maior – para diferenciá-lo do Tiago menor. Também é chamado assim por ser o irmão mais velho de João evangelista. Nos evangelhos têm sempre a presença confirmada entre os mais próximos de Cristo dentre o grupo dos apóstolos.Sao Tiago o maior 2

Esta primeira leitura tirada da carta de São Paulo aos Coríntios, é lida nesta celebração justamente porque nos deseja recordar a fragilidade de nosso corpo diante da morte. Esta morte Tiago também experimentou ao ser decapitado (At 12,1-2) sob o comando de Herodes Agripa I. Paulo fala que trazemos um tesouro em vasos de barro, este vaso já reconhecemos ser nosso corpo mortal e perecível. Mas e este tesouro, o que será? Lembrando da missão recebida por Tiago e do que ele aprendeu com o Mestre, fica fácil entender que este tesouro se trata da fé, tesouro inestimável que nos abre a porta da salvação, que nos faz chegar ao coração de Deus. A fé é este tesouro, e o trazemos em vasos de barro, pois, nosso corpo não somente pode perder o sopro da vida, como ser obstáculo para a preservação deste tesouro. Justamente através do corpo podemos aliarmos ao pecado, embaciando o brilho deste tesouro, deixando-o perder seu valor para mim a tal ponto que o perco pela estrada da vida.

Mas aquele que vê o vaso de barro se romper alheio a seu cuidado, vê na verdade a semente que morre para produzir fruto (cf. Jo 12,24-25), configura-se ao sacrifício de Cristo na Cruz, bebe de Seu cálice (cf. Mt 20,22; 26,39). Se refere explicitamente do martírio, forma excelente de testemunho da fé, banhada pelo próprio sangue. Paulo diz que este sacrifício deve ser visto como “a morte [agindo] em nós, enquanto a vida age em vós” (2Cor 4,12). Complemento com a famosa sentença de Tertuliano: sanguis martyrum, semem christianorum (sangue dos mártires, semente de cristãos). É a vida que brota da aparente morte do irmão que defendeu sua fé até o último suspiro, e por isso arrastou para Deus muitos pela fé, tesouro que não se perdeu quando o vaso de barro foi rompido com a morte.

A fé nos faz superar todas as espécies de martírios que podemos sofrer em nosso tempo, pois ela nos faz compreender que, para a glória de Deus, não é somente a morte abrupta que pode fazer crescer a fé de outros, mas também as muitas agonias sofridas pelas contrariedades que passamos nesta vida por causa da fé em Jesus Cristo. Este testemunho firme e fiel, apesar estigmatista, nunca deixa de alimentar a fé dos irmãos. É também pela fé que, mesmo sendo constantemente Sao Tiago o maior ameaçada pelo mal, não nos deixa calar e assim, anunciamos o Evangelho de Cristo e a necessária conversão a Seu amor. Em São Tiago batia este coração ardente por Deus, que mesmo sabendo o perigo não temia sair a terras distantes para levar o Evangelho a todos, pela glória de Deus. Segundo uma antiga tradição, teria sido o evangelizador da região onde atualmente é a Espanha, que o fez ser muito cultuado a partir do século IX, principalmente em Compostela (Espanha) onde o tiveram como protetor de sua fé e liberdade contra os mouros. Ali erigiu-se um santuário que se tornou um dos maiores lugares de peregrinação da Europa durante a Idade Média e ainda hoje.Sao Tiago maior [martirio]

Nos voltando para o Evangelho (Mt 20,20-28), escutamos este pedido da mãe dos filhos de Zebedeu – Tiago e João – que faz Jesus revelar profeticamente o destino glorioso de Tiago. Serão entregues a morte cruel, para derramar seu sangue em testemunho de Jesus Cristo, nosso Senhor. Irá beber o cálice que Cristo bebeu e será um dos primeiros apóstolos a dar este testemunho, por volta do ano 42-43 d.C., durante as festas pascais (cf. At 12,1-2).

O desejo demonstrado por sua mãe a Jesus, de estar ao lado de Jesus no Reino do Céu, deve-se a sua grande fé em Jesus Cristo. De fato, não se trata de mera expressão de pretencionismo ou egoísmo, mas temos em Tiago alguém que não teme pedir a Deus que lhe deixe estar eternamente a Seu lado sem nunca O deixar. Esta cena deve ser vista sobre a seguinte instrução de Cristo: quem quiser tornar-se grande, torne-se vosso servidor, quem quiser ser o primeiro, seja vosso servo (Mt 20,26-27). É o grande exemplo que Jesus nos deu com Sua encarnação, o rebaixamento para ser exaltado; quem se humilha é o digno de honras no Reino dos Céus. Bem o contrário de quem procura a glória terrena, pois este já procurou sua felicidade plena aqui e não gozara desta exaltação do humilde na eternidade.

Nenhum comentário: