Destaque:

A retrospectiva de Brás Cubas

Tenho grande apreço por Machado de Assis, pois acredito que sua contribuição para a Literatura Brasileira foi muito além de incrementar ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Quarta-feira – Am 5,14-15.21-24 Mt 8,28-34

XIII Semana do Tempo Comum
Pe. Valderi da Silva
O livro do profeta Amós, orienta o povo naquilo que deve ser alvo de uma busca necessária para a vida, buscar o bem, buscar vivê-lo, desejar amá-lo, do contrário se buscará o mal. Quem não se preocupa em buscar somente o bem em sua vida acaba dando lugar ao mal, pois onde o bem não ocupa espaço o mal se instala. Alguém decidido a buscar somente o bem em sua vida desejará sempre se afastar do mal e de suas ações e tudo aquilo que não traga o benefício espiritual ou ajuda necessária ao mais necessitado. Buscar o bem e evitar o mal é condição fundamental para quem deseja realizar-se neste mundo e assim encontrar a felicidade. Esta que se encontra junto de Deus, pois quem pratica o bem esta mais próximo de Deus e de Sua bondade.Jesus expulsa demonios para porcos
Mas não se trata de buscar o bem apenas com a intenção de recompensa, antes sim, buscá-lo por amor, ou seja, amar o bem. Nosso amor esta em Deus assim como o bem perfeito também se encontra Nele, por isso, buscando o bem e desejando amá-lo pelo simples fato de ser “o bem”, estamos não somente mais próximos de Deus como também estamos mais próximos de Seu amor.
O profeta Amós ainda nos diz que é necessário restabelecer a justiça no julgamento (cf. Am 5,15), isto não é apensa procurar o bem, mas é fruto de quem o procura. De fato, a justiça é consequência necessária de quem ama a Deus e esforça-se por viver Seu amor no mundo, principalmente entre os irmãos. Restabelecer a justiça é necessário neste mundo em que vivemos, sendo claro que faremos isto de modo especialmente particular, isto é, minha vida deve ser justa e de exercício desta justiça, mas não como os homens muitas a veem, mas como Deus a vê. Exercer a justiça é antes de tudo, ser honesto com os outros, conosco mesmos e com Deus.
Amar o bem e procurá-lo, exercer uma justiça vinda de Deus, com honestidade, me torna idôneo para oferecer “o sacrifício” a Deus. Ele rejeita o culto e o sacrifício daquele que se apresenta sem estas condições, pois sua oferta será sempre imperfeita e portanto não poderá aceitá-la.
Esta procura pelo bem, pela justiça e honestidade, também fazem com que se reconheça mais facilmente a salvação que Cristo nos trouxe. Nisto se pode enxergar com mais claridade a própria ação divina neste mundo através das próprias pessoas. No evangelho de hoje, o povo da região onde Jesus passava não quis mais sua presença depois que Ele expulsou os demônios e os mandou para a manada de porcos. Talvez pensassem que Jesus era traria devastação a todos, mas o fato é que não compreenderam o poder e a ação de Jesus, não enxergaram nesta ação divina a chegada da salvação dos homens que vive cercado pelo mal e suas ações.
Em uma leitura continuada da leitura do profeta Amós, este povo que desejou a retirada de Jesus, preferiu o mal quando expulsou de suas vidas o Bem. Preferiu a injustiça quando tirou de perto a Justiça encarnada, foram desonestos consigo e com Deus, pois não há honestidade sem Deus assim como não há desonestidade inocente. Os demônios reconhecem a Cristo e seu poder, porque os homens não podem deixar de lado o mal e se apegar ao Bem?

Nenhum comentário: