Destaque:

A retrospectiva de Brás Cubas

Tenho grande apreço por Machado de Assis, pois acredito que sua contribuição para a Literatura Brasileira foi muito além de incrementar ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Segunda-feira – At 6,8-15 Jo 6,22-29

III Semana do Tempo Pascal

Pe. Valderi

Percebemos em Estevão a fé que o move a anunciar e defender a Cristo até diante daqueles que não toleravam os cristãos. Esta fé serena mas firme e decidida é inspiradora para nós e penso que neste tempo em que vivemos a coragem que Estevão demonstra brotar de sua fé é o que precisamos mostrar. Falar de Jesus Cristo e de Suas maravilhas pela humanidade deve ser objeto de nossas intervenções em assuntos diários com todos aqueles que podem nos ouvir e isto sem medo de que alguém possa nos censurar, mesmo que de forma mais agressiva. Assim como este protodiácono não deixou o medo de ser presso ou até apedrejado calar diante daqueles que ainda não reconheciam a Cristo como Senhor e Deus, nós diante desta sociedade que parece muito mais disposta a esquecer a Deus que procurá-lo, devemos ser os novos “estevãos” no anuncio corajoso e fiel do evangelho de Jesus.

A mensagem que Estevão transmite cabe-nos uma reflexão. Ele anuncia a Cristo como exigência para se cumprir a Lei de Deus, precisa-se estar aderido a Cristo e aberto ao Seu Espírito para fazer a Vontade de Deus. Isto faz com que principalmente aquele que julga estar cumprindo os mandamentos de Deus por apenas cumprir duas ou três normas, escute esta mensagem e a deixe “reformar” seu coração. Pois é necessário que sempre haja esta revisão para sermos cristãos que não se deixam acomodar em apenas cumprir normas ou costumes e pensar que nisto esta o cumprimento necessário para a salvação.

Neste evangelho que hoje ouvimos na liturgia, Jesus ressalta a necessidade da fé que da valor ao doador das graças e não somente ao benefício recebido. É algo muito comum presenciarmos pessoas deslumbradas com algo recebido, por vezes algo milagroso, mas que ficam tão extasiadas pelo dom recebido que esquecem de quem o deu, ou seja, ficam no objeto recebido e não se dão conta de olhar para quem o forneceu, o doador da graça. Jesus chama a atenção daqueles que o procuravam porque o desejavam ver somente porque Jesus havia dado de comer para eles, talvez esperando que Jesus repetisse este milagre. Estes não estavam dando o valor a quem realizava o milagre, mas esperavam apenas receber novamente o que comer, ficavam no objeto recebido, não passavam para o doador, Jesus.

A fé verdadeira nos faz dedicar a importância a Jesus, e não apenas aos dons e graças que podemos Dele receber. Nossa vida é direcionada para Ele, pois o que Dele podemos receber nesta vida terrena é lucro diante da eternidade em Seu Reino.

Nenhum comentário: