Destaque:

El centenario de las apariciones de la Virgem Maria en Fatima

Rosa Caroline Crespo Fernández Valderi da Silva En su visita al santuario de Fátima en 1982, San Juan Pablo II proclamaba que "a ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

quarta-feira, 28 de março de 2012

Quando a vida acaba [I]

Oracao Certa vez pensava: tudo vale a pena na vida quando o caráter esta formado de acordo com o moralmente certo e o metafisicamente possível. Isto na verdade não mudou radicalmente em mim, mas passando pelo que já passei posso agora moldar melhor ou até acrescentar.

“Quando a vida acaba” não passa de um sentimento, algo que surge no mais extremo esforço da mente ao se defrontar com alguma realidade ilógica ou no mínimo longe de qualquer prevenção. Quando uma reviravolta acontece no mais límpido e calmo mar da vida, quando aquilo que dantes era mais que certo até ao ponto de ser inimaginável, magicamente – ou maquiavelicamente – aparece, quando aquilo que sempre te era encarado como a raiz, o fundamento, o alicerce se desvela como uma mascara de fumaça. Neste momento surge o sentimento para o qual chamo a atenção.

Não leias com desdem, ou ignore esta mais significativa expressão do espírito humano. Ele se mostra em quase todos os seres humanos quase sempre nas mais decepcionantes relações humanas. De fato, não posso negar que este sentimento pode ser altamente destrutivo mas defendo a tese de que se torna de grande utilidade, até ouso dizer que necessário para o mais perfeito amadurecimento moral e ético do ser humano. E escreve quem certamente passou por isso. Não entendam como desejo de que todos passem por isso, ao contrário, oxalá ninguém tivesse essa inexprimível sensação de morte iminente!

Trata-se de algo que por unanimidade é corrosivo podendo levar ao extermínio de uma vida, mas que pode ser revertido numa couraça que fortalece o espírito além de purificador que clareia mais a visão dos seres humanos que nos cercam, levando a viver com mais convicção, posição e limpidez naquilo que se pode opinar.

[continua]

Nenhum comentário: