Destaque:

El centenario de las apariciones de la Virgem Maria en Fatima

Rosa Caroline Crespo Fernández Valderi da Silva En su visita al santuario de Fátima en 1982, San Juan Pablo II proclamaba que "a ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

quinta-feira, 15 de março de 2012

Família, primeira escola de oração: São José

O primeiro a fazer a experiência [da escola de oração na família] foi José. Seu humilde e sincero amor à sua prometida e a decisão de unir sua vida à de Maria o atraíram e introduziram também a ele, que já era um “homem justo” (Mt 1,19), numa singular intimidade com Deus.Sao Jose falando com Menino Jesus

De fato, com Maria e depois, sobretudo, com Jesus, ele inicia uma nova forma de relacionar-se com Deus, de O acolher na própria vida, de entrar no seu projeto de salvação, cumprindo a sua vontade. Depois de ter seguido com confiança a indicação do Anjo - “não temas receber Maria, tua esposa” (Mt1,20) – ele A tomou consigo e partilhou sua vida com Ela; entregou-se deveras totalmente a Maria e a Jesus, e isto o conduziu à perfeição da resposta à vocação recebida.

O Evangelho, como sabemos, não conservou palavra alguma de José. A sua presença é silenciosa, mas fiel, constante, laboriosa. Podemos imaginar que também ele, como sua esposa e em íntima consonância com Ela, tenha vivido os anos da infância e da adolescência de Jesus, deleitando-se, por assim dizer, com sua presença na família.

José cumpriu plenamente o seu papel paterno, sob todos os aspectos. Certamente educou Jesus na oração, junto com Maria. Ele, em particular, tê-Lo-á levado consigo à sinagoga, aos ritos do sábado, assim como a Jerusalém, para as grandes festas do povo de Israel. José, segundo a tradição judaica, terá guiado a oração doméstica quer no dia a dia – de manhã, à noite, nas vésperas, nas refeições –, quer nas principais festas religiosas. Assim, no ritmo dos dias transcorridos em Nazaré, entre a casa simples e a oficina de José, Jesus aprendeu a alternar oração e trabalho, e a oferecer a Deus também a fadiga para ganhar o pão necessário à família.

Revista Arautos do Evangelho. Fevereiro 2012, N.122, pg.7

Nenhum comentário: