Destaque:

A retrospectiva de Brás Cubas

Tenho grande apreço por Machado de Assis, pois acredito que sua contribuição para a Literatura Brasileira foi muito além de incrementar ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

sábado, 11 de fevereiro de 2012

Uma voz de protesto contra a “ministra da morte”

O bispo de Assis (SP), d. José Benedito Simão, presidente da Comissão pela Vida da regional Sul 1 (Estado de São Paulo) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), disse ao Estado que a nova ministra da Secretaria de Política para as Mulheres, Eleonora Menicucci, "é uma pessoa infeliz, mal-amada e irresponsável", que "adotou uma postura contra o povo e em favor da morte" ao defender o aborto em declarações dadas à imprensa. Informada, a ministra não quis comentar as críticas feitas pelo bispo.

Minhas manifestações de louvor a este prelado da Santa Igreja que não hesitou em expressar na imprensa sua indignação e preocupação com esta pessoa colocada neste ministério. Sinto grande esperança de que muitos outros neste nosso país se manifestem fervorosamente contra as idéias desta pessoa que pode trazer verdadeiro derramamento de sangue inocente – mais do que já existe – em nossas terras.

"Recebo com muita indignação as palavras da nova ministra, cuja pasta tem uma grande responsabilidade em favor da vida da mulher", afirmou d. José – para quem a ministra abriu uma polêmicas que pode criar um confronto entre Igreja e governo. "Ela é infeliz, mas ninguém precisa ficar sabendo. Seu discurso mostra que ela pode estar reabrindo feridas que estavam cicatrizando", disse ainda o bispo, referindo-se aos debates ocorridas no fim do governo Lula sobre aborto no Programa Nacional de Direitos Humanos 3 (PNDH-3). "Ela tem obrigação de apresentar programas que gerem vida, e não morte. Deve falar em defesa da mulher, em defesa da vida, mas se posicionou a favor do homicídio, ao defender o aborto", protestou.

Realmente a preocupação de Dom Simão tem procedência, pois num confronto tão forte como este a relação entre Igreja e Estado, que nunca foram as melhores, pode se agravar fortemente deixando o povo muito mais confuso e dividido, isto em vista de que a maioria neste país ainda é católica e tenta seguir o que diz a Igreja.

O fato é que esta mulher ainda trará provocará grande agitação com suas posturas diante de temas delicados. É preciso estarmos a postos para novas investidas contra quem luta pela morte e não pela vida. A “ministra da morte” deve ser mudar de postura do contrário receberá enorme confronto.

Fonte: http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,para-bispo-ministra-da-secretaria-das-mulheres-e-mal-amada-e-irresponsavel,834194,0.htm

Nenhum comentário: