Destaque:

A retrospectiva de Brás Cubas

Tenho grande apreço por Machado de Assis, pois acredito que sua contribuição para a Literatura Brasileira foi muito além de incrementar ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Segunda-feira - Mc 6,53-56

Jesus condescendente e realiza muitas curas, mas não fala. Persiste, com efeito, o equívoco sobre a Boa Nova que ele era enviado a anunciar, sobre a salvação e sobre sua própria identidade. As multidões procuram o pão, procuram a cura, e se esquecem da conversão do coração, da adesão à pessoa de Cristo, do perdão dos pecados. Quanta gente, ainda hoje, espera semelhante desembaraque de Jesus: que traga a salvação exterior, fácil, obtida simplesmente “tocando-lhe as vestes”, recitando um oração, cumprindo uma prática externa, ou talvez entrando numa associação ou ordem religiosa. A salvação, ao contrário, é profunda, interior e radical: cura as profundezas do coração. As outras curas são apenas sinais: da vontade de Cristo de doar-nos a verdadeira salvação, a salvação total. Jesus quer colocar seu poder sobretudo a serviço da conversão do coração.

Cf. Missal Quotidiano. Ed. Paulus, são Paulo, pg. 740.

Nenhum comentário: