Destaque:

El centenario de las apariciones de la Virgem Maria en Fatima

Rosa Caroline Crespo Fernández Valderi da Silva En su visita al santuario de Fátima en 1982, San Juan Pablo II proclamaba que "a ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Quinta-feira após Cinzas

Dt 30,15-20 Lc 9,22-25

Pe. Valderi

O Senhor fala ao povo mostrando que aquele que deseja a vida somente a conseguirá junto de Deus, vivendo conforme Sua vontade, pois deste modo pode nutrir-se daquele que é o autor da vida, fonte dela e também fim da existência. O meio que o próprio Deus nos deixou foram seus mandamentos. Leis bem claras que abrangem tudo aquilo que o ser humano precisa viver e evitar para viver segundo a vontade do Criador, normas redigidas pela palavra de Deus que nos querem orientar para não deturpar a própria natureza de nosso corpo e de nossa alma.

Vos propus a vida e a morte, a benção e a desgraça (v.19), Ele com seus mandamentos nos mostra o caminho da vida e ao mesmo tempo nos alerta que a caminho da morte pode ser opção para aquele que desdenhar estes mandamentos julgando-os desnecessários para sua vida.Tome sua cruz

Jesus anuncia sua páscoa como preparação para seus discípulos. Preparação que nós, neste tempo quaresmal fazemos, e o queremos aproveitar visto que o momento pode ser este e nenhum outro, lembremos de Paulo quando diz este é o tempo favorável (2Cor 6,2). Visamos a Páscoa de Cristo, mas antes é necessário haver de nossa parte um tempo de recolhimento interior, onde podemos entrar em nós e vasculhar coisas novas e velhas a fim de encontrar o que ainda nos trava para a vida de santidade. Este tempo serve muito para isso e também para uma renovada adesão de fé, reconhecendo a Deus como único Senhor do universo, a Jesus como Seu Filho Unigênito e Seu Espírito Santo santificador.

Esta vida renovada em Deus nos impele a entender melhor o seguimento de Cristo, pois ele requer renúncia de si mesmo, ou seja, renúncia de minhas preferências pessoais, gostos que as vezes impede Cristo de reger minha vida, renúncia de ideias que fazem com que eu me afaste sempre mais da obediência a Igreja de Deus, renúncia a prazeres da carne que me levam a amar mais as pessoas que a Deus ou a fazê-las de simples objeto de minhas vontades. Tomar a cruz e seguir a Cristo requer a renúncia mas também a acolhida do sofrimento, daquilo que as vezes me faz sofrer e daquilo que inevitavelmente surge mas que gostaria que não aparecesse. Tomar a cruz a cada dia me faz nunca esquecer que o sofrimento da vida presente me faz andar com Cristo que padeceu por nossa salvação.

Nenhum comentário: