Destaque:

El centenario de las apariciones de la Virgem Maria en Fatima

Rosa Caroline Crespo Fernández Valderi da Silva En su visita al santuario de Fátima en 1982, San Juan Pablo II proclamaba que "a ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Preparação filosófico-teológica é importante, mas não somente isso

Bento XVI reiterou a necessidade de "uma sólida preparação filosófico-teológica dos futuros sacerdotes." Não se trata, de fato, só de aprender os conceitos "obviamente úteis", mas de "conhecer e compreender a estrutura interna da fé como um todo." O estudo da teologia, além disso, "deve ter sempre uma ligação muito intensa com a vida de oração."

Seminarista 01 Nosso Santo Padre nos mostra mais uma vez que por muito tempo os seminários podem estar correndo na formação com uma perna só, ou seja, niglegenciando uma dos mais importantes aprendizados para um seminarista no período de vivência no seminário.

Estudos são extremamente importantes, e eu pude comprovar esta realidade por várias vezes durante minha formação. Nao se pode negar a um seminarista o tempo necessário para pesquisar, ler e debater sobre assuntos filosóficos e principalmente teológicos. É através dos estudos que ele terá uma base sólida para argumentar sobre sua fé, Igreja e sobre os mistérios de Deus. Mas isso não é tudo, aliás isto vem em segundo lugar em um seminário. De fato, o que vem primeiramente é a intensa vida de fé e oração. No seminário deve ser constituida uma verdadeira comunidade onde cada seminarista deve aprender, ou melhor, “conhcer e compreender” – nas palavras do papa – sobre a estrutura própria da fé que professa desde o seu batismo. O que podemos dizer de um padre que demostra falta de solidez no conhecimetno da estrutura básica de sua fé? Daquele que gagueja ao ter de deixar claro para alguém os pontos essenciais da fé cristã?

Não estou querendo dizer que isto quer dizer que o seminarista deva “decorar” todas a virtudes cardeais e teologais com seus conceitos, ou que deva saber ao menos destrinchar o sumário do catecismo da Igreja Católica. Aliás, não sou a favor de “decorar” ou aprender a qualquer custo, visto que isso não traz sabedoria, em minha opinião. O que acredito é que o seminarista deva ter no seminário uma vida de experiência destes conhecimentos da fé, viver nesta comunidade em que vive o que professamos no Símbolo Apostólico e buscamos nas virtudes. E isto vai conseguir, ou o deixará mais próximo disto a oração, meio mais excelso de estar constantemente ligado a Deus, verdadeiro formador de cada futuro sacerdote.

Peço a Deus pelos formadores de seminários e seminaristas, que possam rever sua formação e que possam analisar a possível mudança naquilo que por ventura não esta de acordo com as palavras da Santa Igreja e do Papa.

 

Fonte: http://www.zenit.org/article-29564?l=portuguese

Nenhum comentário: