Destaque:

A retrospectiva de Brás Cubas

Tenho grande apreço por Machado de Assis, pois acredito que sua contribuição para a Literatura Brasileira foi muito além de incrementar ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

O silêncio da criação

Nada foi mais inesperado e terrível. Os homens, mulheres e crianças viram apenas um homem, mas a criação toda, desde as pedrinhas mais ínfimas até o recondido mais oculto do universo sentiu o abalo que haveria de mudar a relação da existência do universo inteiro. O criador de tudo viu Seu Filho… Se viu, chagado até o extremo de suas forças. Todo ensanguentado viu sair de suas feridas o líquido da vida, líquido que ele mesmo criou e deu finalidade. Líquido que quis se tornasse o “óleo” vital para o corpo do homem.

Deus Eterno, Criador do universo, não consigo imaginar toda a angústia humana que deve ter sentido, toda dor em seu corpo dilacerado por aquele que criaste. Peço-te, dai a mim e a todos os homens e mulheres como a toda a criação a graça de sentir ao menos um “arranhão” do sofrimento que passaste, para que tenhamos mais amor e contrição contemplando sua oferta ilógica por nós, mas perfeita para Vós.

O universo silenciou… é Cristo que deu seu último suspiro antes de – temporariamente – morrer. Pôde um dia a criação Sua imaginar presenciar esta cena, o Rei do Universo deitar Sua cabeça e suspirar entregando Seu espírito ao Pai a maneira de seres mortais como nós?!

O silêncio da criação se fez, e nunca mais irá se repetir visto que Cristo padeceu uma vez para sempre pela corrupção de toda a criação. É fato único e extemamente terrível. É certo que nunca teremos algo parecido em nossos tempos, mas o fato inédito, único, irrepetível e perfeito, trouxe a todos nós algo que nada que venha da própria criação poderá um dia trazer: a possibilidade de entrar no Estado Eterno, onde Deus está, onde Sua divindade preenche cada espaço, onde não mais faremos silêncio de assombro, mas de plena graça em Deus.

Meu criador, meu Redentor. Queria carregar eu tuas dores, mas sou tão fraco e sujeito a desistência que não ouso te pedir tamanho compromisso, mesmo sabendo da felicidade que sentiria. Traze-me sobre o coração ao menos os sentimentos de tua Mãe Maria que viu e viveu Seu padecimento junto da cruz. Quero estar contigo nesta hora, abraçar tua cruz, sentir as lágrimas de Maria caindo ao chão e até morrer junto com a dor de saber de Vós, sofredor pelos homens que as vezes são tão pecadores. Olha pela criação inteira e cobre-a com sua existência sustentadora. Assim seja, meu Deus e Criador.

Nenhum comentário: