terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Seitas e denominações religiosas

A realidade do absurdo fenômeno religioso de nossos tempos é fato e não se pode negar, mas mesmo que pareça muito difícil temos que analisar o por que tantas denominções religiosas surgem e “infestam” o mundo deixando ele cada vez mais caótico, uma verdadeira versão piorada da Torre de Babel.
Como disse, tentar realizar esta analise é muito difícil, mas podemos identificar alguns pontos claros e objetivos destes vários grupos ou seitas. Um deles é o desconforto em ter que obedecer, mas não se trata simplesmente em obedecer ao padre, bispo ou  papa, mas sim de obedecer a um conjunto de normas e regras fixadas segundo a inspiração divina e que consta de vários séculos sem desvio em suas linhas mestras.
Outro ponto é a necessidade que alguém, geralmente o “fundador” da seita, sente em se sustentar tentando realizar algo fácil para ele, onde ele mesmo é o seu superior sem muita obrigação moral de prestação de contas.
Outro ainda é a verdadeira paranóia em querer modificar a interpretação dos textos sagrados segundo a insatisfação pessoal que sentiam ao ouvir as pregações na religião de origem. Junta-se a isso o grande sincretismo com magias ou profecias a respeito do fim do mundo.
Apesar de tentar apenas ver a ilusão moral ou a consciência entorpecida de muitos, se nota a olhos claros a má fé em fazer riqueza a custa da ingenuidade do povo.

Um comentário:

Flávio Amaral disse...

Devido ao isolamento e a obsessão por se diferenciarem, as seitas costumam ir desenvolvendo excentricidades ao longo do tempo, até chegarem a exageros e fanatismos. Convido a conhecerem meu canal no Youtube, "O que é uma Seita", onde estou desenvolvendo vídeos didáticos que ajudam a explicar este assunto. Abraços! https://www.youtube.com/channel/UCisnj-7zBRYe5E-Ze_Oj96Q