Destaque:

El centenario de las apariciones de la Virgem Maria en Fatima

Rosa Caroline Crespo Fernández Valderi da Silva En su visita al santuario de Fátima en 1982, San Juan Pablo II proclamaba que "a ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

domingo, 14 de novembro de 2010

XXXIII Domingo do Tempo Comum

Comentário ao Evangelho do dia feito por Santo Ambrósio (c. 340-397)
Bispo de Milão e Doutor da Igreja
Comentário ao Evangelho segundo São Lucas X, 6-8 (SC 52, pp. 158 ss., rev.)
A vinda de Cristo
«Não ficará pedra sobre pedra. Tudo será destruído». Estas palavras diziam respeito ao Templo edificado por Salomão [...], uma vez que tudo o que é construído pelas nossas mãos sucumbe ao desgaste ou à deterioração e está sujeito a ser derrubado pela violência ou destruído pelo fogo. [...] Mas dentro de nós também existe um templo que se desmorona se a fé faltar, em particular se em nome de Cristo procurarmos em vão apoderar-nos de certezas interiores, e talvez seja esta interpretação a mais útil para nós.
O que é transitório desmorona visto que aquilo que não pode ser corruptível pelo tempo não desmancha ou se destrói. Assim: o que é transitório? Logo pensamos em coisas materiais, e não esta errado, mas não somente algo material é transitório, mas também “sentimentos” corruptíveis que levam ao materialismo como a impiedade, a falsidade e todos os vívios capitais.
Através destes vícios nosso templo interior tem suas paredes corroidas pelo tempo, pois cultivamos o corruptível no tempo teríamos para cultivar o incorruptível.
Com efeito, de que servirá saber o dia do Juízo? De que me servirá, tendo consciência de todos os meus pecados, saber que o Senhor virá um dia, se Ele não vier à minha alma, não crescer no meu espírito, se Cristo não vier a mim, se Cristo não falar em mim? É a mim que Cristo deve vir, e é em mim que deve realizar-se a Sua vinda.
Esta vinda de Cristo não deve ser inquietante para aquele que soube receber sua primeira vinda (cf. Santo Agostinho). Muito pouco valerá a segunda vinda de Cristo a uma alma corrompida pelo mal, que não soube ver e acolher a primeira vinda de Cristo, esta vinda do Senhor somente servirá para o apartar eternamente do Bem visto que em vida assim o desejou.
Ora, a segunda vinda de Cristo terá lugar no nadir do mundo, quando pudermos dizer que «o mundo está crucificado para mim, e eu para o mundo» (Gl 6, 14). [...] Para quem lhe morreu o mundo, Cristo é eterno; para esse, o Templo é espiritual, a Lei espiritual, a própria Páscoa espiritual. [...] Então, para esse, realiza-se a presença da sabedoria, a presença da virtude e da justiça, a presença da redenção, porque Cristo na verdade morreu uma só vez pelos pecados de todos a fim de resgatar todos os dias os pecados de todos.
Queres saber quando será o fim do mundo? Preste atenção nas palavras de Santo Ambrósio: quando pudermos dizer “o mundo está crucificado para mim, e eu para o mundo”. O fim deste mundo será definido pela ordem espiritual da humanidade não pela material.
Vivamos em Cristo.

Nenhum comentário: