Destaque:

A retrospectiva de Brás Cubas

Tenho grande apreço por Machado de Assis, pois acredito que sua contribuição para a Literatura Brasileira foi muito além de incrementar ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

sábado, 31 de julho de 2010

A velhice e a morte

Será que Paulo Coelho percebeu que esta ficando velho?!

***

Quando ficamos velhos, e estamos perto da morte, passamos a acreditar em qualquer coisa. Podemos durar mais cinco, dez, vinte anos – entretanto, com esta idade a gente termina entendendo que vai morrer.

Para os mais jovens, a morte é uma ideia remota, que pode acontecer um dia. Para os velhos, é algo que pode vir amanhã. Por isso, muitos velhos passam o tempo que lhes sobra olhando apenas numa direção: o passado.

Não é que gostem muito das lembranças; mas sabem que ali não vão encontrar o que temem.

Poucos velhos olham para o futuro, e quando fazem isso, descobrem o que o futuro realmente lhes reserva: a morte.

Fonte: http://colunas.g1.com.br/paulocoelho/2010/07/31/a-velhice-e-a-morte/

2 comentários:

Anônimo disse...

A morte espera por todos após a concepção que se inicia com a vida. Seja nenê, criança, jovem, adulto ou idoso, a morte é uma realidade diária do que é vivo. Os ocidentais tendem a colocar no armário do esquecimento a morte, dai quando ela ocorre é aquele horror, como se ela fosse uma completa estranha. Este mundo já tev camadas e camadas de vivos e respiramos o pó de todos cadaveres dos seres que já viveram. A crença em algo é mero sustentáculo psicológico para AS AÇÕES humanas. A crença dá aval aos atos humanos, sejam eles bons ou maus.Colocar a morte como fato inarredável apenas do idoso é muita ignorancia, a morte não tem data ou idade para vir.Ela bate a porta todo segundo.

Valderi da Silva disse...

"Colocar a morte como fato inarredável apenas do idoso é muita ignorancia...".
Concordo com este fato, por isso todos devem pensar e até esperar a morte, naquele sentido de estar sempre preparado.
Obrigado pelo comentário.