Destaque:

A retrospectiva de Brás Cubas

Tenho grande apreço por Machado de Assis, pois acredito que sua contribuição para a Literatura Brasileira foi muito além de incrementar ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Todos a favor da vida

Cresce espantosamente o número de movimentos ou “grupinho” de pessoas que gritam a favor do aborto, e uma das principais bandeiras é o pseudo direito da mulher, ou seja, a mulher se conserva bem enquanto um indefeso é assassinado por ela. Fiquei mais atônito com a recente notícia dada pelo Governo espanhol da legalização do aborto, ou melhor, da legalização de assassinatos de inocentes.

Recebi a poucos dias um email tratando da iniciativa tomada pelo Governo chileno de apoiar osVida 01 pró-vida da Espanha, e junto uma demosntração de que nossa luta (através de manifestações e artigos) não é simplesmente em vão.

Temos todos um dever para com os mais fracos, todos podemos ser aqueles “heróis” dos desenhos animados que alerdeavam com orgulho seu objetivo de ser “defensor dos fracos e oprimidos”. O mais fraco que podemos encontrar na face da terra é o ser que nem veio ao mundo ainda; o mais oprimido é aquele que não pode se defender quando decidem sua vida – ou sua morte! Todos podem lutar para o mundo não cair nas trevas que o pecado traz para o ser humano enxarcado do sangue alheio, derramado como o de Abel, inocente e indefeso sem chance de dizer: quero viver.

Vida 02O mundo esta crescendo tecnologicamente e avançando economicamente, mas essas “evoluções” devem trazer paz e convorto ao homem – no espírito e no corpo –, não fazer seu sentido natural da criação do seu próprio ser retroceder.

Avante, todos a favor da vida!

 

Pax Christi

Um comentário:

"O homem atual esqueceu sua criação?" disse...

"Cada um recebe o que é comum a todos, a vida. E esta, antes de qualquer coisa, não esta acima de tudo que se possa ter? Com este simples pensamento, como se pode dizer que é o bem maior matar alguém para fazer outro, já adulto e consciente, ir para casa melhor?!..."