Destaque:

A retrospectiva de Brás Cubas

Tenho grande apreço por Machado de Assis, pois acredito que sua contribuição para a Literatura Brasileira foi muito além de incrementar ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

sábado, 19 de junho de 2010

Um tenor a favor da vida

Mostrei aqui a pérola que é o vídeo em que o tenor Andrea Bocelli realata em forma de testemunho a vital decisão de sua mãe em não abortar contrariando os médicos, livrando assim de perder o filho e de fazer o mundo ficar sem o mais bela voz clássica contemporânea.

Em recente entrevista Andrea fala da repercusão deste pequeno relato que se tornou famoso no You Tube e de como surgiu, além de deixar claro que como católico fervoroso não quis apenas censurar as muilheres que fazem aborto, mas quis com o testemunho dar conforto e mostrar que é a favor da vida acima de tudo.

Abaixo texto extraído de Aci Digital com trechos da entravista.

***

Roma, 18 Jun. 10 / 02:21 pm (ACI).- Depois do êxito do vídeo no qual relata a história de como sua mãe desobedeceu aos conselhos médicos para acabar com sua vida porque detectaram uma deficiência física no ventre, o tenor Andrea Bocelli assinala que não quer que este seu testemunho seja considerado como "uma intervenção contra o aborto: com minhas convicções pessoais, de fervente católico, não somente combato contra algo, combato por algo e estou a favor da vida".
Em uma entrevista concedida ao jornalista Paolo Rodari do jornal Il Foglio da Itália, o tenor assinala que com o vídeo "quis ajudar, confortar as pessoas que se encontram em dificuldades e que em ocasiões só necessitam sentir que não estão abandonadas: a força da vida é perturbadora, mas é necessário ficar à escuta, abrir bem as orelhas" para acolhê-la.
Bocelli assinala logo, antes de contar como filmou o vídeo, que chamou muito a sua atenção o fato de que começaram a chegar ligações de todo o mundo, mais que o usual: "disse essas coisas há um ano e meio em uma vídeo-mensagem para o Padre Richard Frechette (padre Rick), um missionário que trabalha para os meninos do Haiti e mereceria, ele só, um livro inteiro: fiz um concerto, para ajudá-lo a construir a Casa dos Anjos e me pediu dizer umas palavras de esperança para as mães em dificuldades e escolhi contar a história do meu nascimento".
"Eu o fiz contando a experiência pessoal da minha mãe sem sequer pedir permissão a ela, mas ela não me censurou, e eu tampouco estava preparado para todo este clamor que foi gerado com efeito retardado", acrescenta no telefone enquanto esperava com sua família o início do primeiro jogo da seleção italiana de futebol que empatou com o Paraguai em 1 a 1.
Na entrevista, Bocelli também relata como desde pequeno e quando jovem "era muito inquieto, bastante inconsciente: amava a velocidade" e que sentiu a música desde muito pequeno: "minha mãe me conta que eu chorava assim que escutava uma melodia, inclusive através da parede do quarto do hospital, girava em direção ao som e escutava encantado”.

Fonte: http://www.acidigital.com/noticia.php?id=19270

Nenhum comentário: