Destaque:

El centenario de las apariciones de la Virgem Maria en Fatima

Rosa Caroline Crespo Fernández Valderi da Silva En su visita al santuario de Fátima en 1982, San Juan Pablo II proclamaba que "a ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

sábado, 19 de junho de 2010

Bom escritor, mas não homem de Deus!

Não posso deixar de manifestar meu desapontamento com a igreja católica em Portugal ao vir a público expressar um sentimento de pesar pela morte deste escritor que nunca escondeu de ninguém seu agnosticimo arraigado sem falar de sua adesão as ideologias comunistas, aliás, ele se dizia comunista (confira vídeo abaixo de entrevista a Edney Silvestre da Rede Globo) e o queria sê-lo até a morte.

Não nego seu imenso talento como escritor, sua habilidade com as narrativas. Serei sempre um dos primeiros a dizer a grande justiça que foi realizada ao darem a ele o Nobel de Literatura. Eu mesmo li várias de suas obras e se cruzar com alguma que ainda não tenha lido com certeza o lerei.

Apesar disso, minha coerência não deixa que “incense” ou “santifique” quem sempre acusou a Igreja Católica de manipuladora da verdade e consequentemente dos milhões de fiéis pelo mundo através de sua doutrina tenteciosa!

Como todos os que partem deste mundo, rezo pelo encontro com o Senhor e a paz eterna sem “colocar” ninguém no céu muito menos no inferno.

Abaixo nota do Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura (SNPC) de Portugal.

***

Igreja expressa pesar pela morte de José Saramago (http://www.snpcultura.org/pcm_igreja_expressa_pesar_pela_morte_jose_saramago.html)

O Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura expressa o seu pesar na morte de José Saramago, grande criador da língua portuguesa e expoente da nossa cultura. José Saramago ampliou o inestimável património que a literatura representa, capaz de espelhar profundamente a condição humana nas suas buscas, incertezas e vislumbres.

Como é público, o cristianismo e o texto bíblico interessaram muito ao autor como objecto para a sua livre recriação literária. Há uma exigência e beleza nessa aproximação que gostaríamos de sublinhar. O único lamento é que ela nem sempre fosse levada mais longe, e de forma mais desprendida de balizamentos ideológicos. Mas a vivacidade do debate que a sua importante obra instaura, em nada diminui o dever da cordialidade de um encontro cultural que, acreditamos, só pode ser gerado na abertura e na diferença.

Lisboa, 18 de Junho de 2010

Também em:

José Saramago: «grande criador da língua portuguesa» (http://www.agencia.ecclesia.pt/cgi-bin/noticia.pl?id=80214)

O Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura expressa o seu pesar na morte de José Saramago, “grande criador da língua portuguesa e expoente da nossa cultura” – lê-se num comunicado do referido secretariado que tem como director o Padre e poeta Tolentino Mendonça.
Falecido hoje (dia 18 de Junho), na ilha espanhola de Lanzarote, o único português galardoado com o Prémio Nobel da Literatura, contava com 87 anos de idade. O comunicado do Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura realça que José Saramago “ampliou o inestimável património que a literatura representa, capaz de espelhar profundamente a condição humana nas suas buscas, incertezas e vislumbres”.
O cristianismo e o texto bíblico “interessaram muito ao autor como objecto para a sua livre recriação literária”. E acrescenta: “Há uma exigência e beleza nessa aproximação que gostaríamos de sublinhar”. “O único lamento é que ela nem sempre fosse levada mais longe, e de forma mais desprendida de balizamentos ideológicos” – lê-se
Nascido em Azinhaga, Golegã, a 16 de Novembro de 1922, José Saramago foi um profícuo escritor. «Terra do Pecado»; «Levantado do Chão»; «Memorial do Convento»; «O Ano da Morte de Ricardo Reis»; «A Jangada de Pedra»; «O Homem Duplicado», «Ensaio Sobre a Lucidez»; «As Intermitências da Morte», «A Viagem do Elefante», e «Caim» são algumas das obras saídas da pena deste Nobel português.

5 comentários:

mesnitu disse...

Felizmente somos livres. Respeitando a sua opinião , mas para mim , homem inculto e como inúmeros homens antes de mim que procura e é o máximo que posso fazer , é procurar um entendimento de Deus , acabo sempre por encontra-lo mais em supostos Ateus e contestatários de uma Doutrina de uma Igreja, do que em estudiosos da Bíblia.
Se Deus quisesse que tivéssemos um esclarecimento completo de Si , teria-nos deixado aproximar da árvore da vida. Se não o fez , é porque gosta de questões. É o que penso.

Valderi da Silva disse...

"Se Deus quisesse que tivéssemos um esclarecimento completo de Si , teria-nos deixado aproximar da árvore da vida".
Esqueces de nossa liberdade que foi querida por Deus que a tivêssemos desde a criação. Deus quer sempre que o conheçamos em plenitude, mas isso pode acontecer sem dizer sim ou não?! Deus é isento de tudo, nós somos livres e ainda não soubemos usar nossa liberdade.

mesnitu disse...

Não faço a mínima ideia do que Deus quer. O que imagino tendo em conta que escolheu parábolas, é porque Deus quer que pensemos.
Deus não quis, sabe lá porquê , que nos tornássemos como Ele, ou melhor Eles:

"Então disse o Senhor Deus: Eis que o homem é como um de nós, sabendo o bem e o mal; ora, para que não estenda a sua mão, e tome também da árvore da vida, e coma e viva eternamente, o Senhor Deus, pois, o lançou fora do jardim do Éden, para lavrar a terra de que fora tomado. E havendo lançado fora o homem, pôs querubins ao oriente do jardim do Éden, e uma espada inflamada que andava ao redor, para guardar o caminho da árvore da vida."

Dai digo que de alguma maneira Deus precisa de nós e precisa das nossas questões, assim como nós necessitamos D'Ele.
Deu-nos a Liberdade e o livre arbítrio , e como diz e muito bem , não soubemos usa-las. É o mesmo que eu dar um instrumento perigoso ao meu filho e explicar-lhe por parábolas como funciona. Se o resultado for negativo e ele se aleijar ou aleijar outros , onde reside a culpa. No meu filho ?
E a Igreja (como instituição, aliás até tem um Estado e tudo),o que pode ao menos é perdoar.
Jesus quando veio à terra , não foi ao encontro de dirigente e instituições religiosas, mas sim ao encontro dos que não tinham acesso a ele. Passado 2010 anos , estamos na mesma.

Desculpe, pois não quero ofender, mas isto é o verbo procurar, eu procuro , voce procura , Saramago tambem procurou. Agora é entre ele e o Criador. É uma conversa entre Pai e filho , e nós irmaos apenas torcemos para que corra bem.

Saudações

Valderi da Silva disse...

Certo, todos tem que procurar, o Papa também procura e quando um homem ou mulher o encontra demonstra com sua vida daí dizemos com propriedade que este é "santo".
Procurar, como disseste, faz parte de todos, cristãos declarados e não declarados, mas deve existir sinceridade nesta procura, sendo humilde em pedir orientações para a reta busca pessoal senão sempre vamos trilhar caminhos equivocados, e nada mais adequado do que aqueles que Cristo mesmo instituiu para isso!
"Agora ele estará diante do grande Juiz", nisto concordo. Não somente ele como todos isto conforta uns e deve preocupar a outros.

Pax Christi

Anônimo disse...

Deus está em todos os lugares, menos nas igrejas e seitas entre elas a grande meretriz, pois elas o que mais fazem é justamente o contrario do que Cristo como filho de DEUS pregou, oprimem, aterrorizam, jogam pessoas contra pessoas, países contra países, condenam culturas inteiras ao desaparecimento, não respeitam crenças de povos mais primitivos nem de mais evoluidos, se fecham em torno do papa como supremo juiz do bem e do mal. Quantas desgraças ouve no mundo cuja causa foram religiões aliadas da nobreza por exemplo, chega de massacrar os povos em nome de DEUS!!!!