Destaque:

A retrospectiva de Brás Cubas

Tenho grande apreço por Machado de Assis, pois acredito que sua contribuição para a Literatura Brasileira foi muito além de incrementar ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Em Fátima, Papa convida a humanidade a deixar o egoísmo e a entregar-se a Deus*

*Extraído de http://www.arautos.org/view/show/15798-em-fatima-papa-convida-a-humanidade-a-deixar-o-egoismo-e-a-entregar-se-a-deus

Cidade do Vaticano (Quinta-feira, 13-05-2010, Gaudium Press) O Papa Bento XVI celebrou hoje, 13 de maio, Santa Missa na Esplanada do Santuário de Fátima, Portugal. O terceiro dia da viagem ao país marca a data em que se comemora o 93° aniversário da primeira aparição da Virgem Maria aos três pastorinhos. Referindo-se a ocasião o pontífice desejou aos presentes que os Saiu na netpróximos sete anos que faltam para o centenário "possam apressar o anunciado triunfo do Coração Imaculado de Maria para glória da Santíssima Trindade".

A visita do Papa a Fátima também reveste-se de um grandioso significado, porque este ano, os católicos de todo mundo comemoram os cinco anos da morte de Irmã Lúcia, aquela que teve a vida mais longa entre os três pastorinhos e também o centenário do nascimento de Jacinta Marto, a outra pastorinha que presenciou a aparição da Virgem Maria.

Em suas palavras iniciais, o Santo Padre disse que veio à Fátima como um simples peregrino "que quer se rejubilar com a presença da Virgem Maria". Bento XVI afirmou também que está presente na cidade onde Nossa Senhora apareceu "para confiar à protecção materna de Maria os sacerdotes, os consagrados e consagradas, os missionários e todos os obreiros do bem, assim como toda a humanidade atingida por misérias e sofrimentos".

Segundo o Papa, Maria é como uma mestra que introduz os pequenos videntes, e através deles, todas as pessoas no conhecimento íntimo do Amor Trinitário, levando-os a saborear o próprio Deus como o mais belo da existência humana. "A fé traz uma esperança certa que não desilude; indica um sólido fundamento sobre o qual apoiar, sem medo, a própria vida", afirmou.

Durante a cerimônia, o Santo Padre convidou também toda a humanidade a deixar mesquinhos egoísmos de nação, raça, ideologia, grupo, indivíduo e de entregar-se a Deus, porque o "homem pode despoletar um ciclo de morte e terror, mas não consegue interrompê-lo...", afirmou.

Ao término da missa o pontífice dirigiu as tradicionais saudações em diversas línguas. A última saudação foi em português: "Queridos peregrinos de língua portuguesa, sob o olhar materno de Nossa Senhora de Fátima, saúdo a todos vós que aqui viestes dos vários países lusófonos à procura de conforto e de esperança. Dando-nos Jesus, Maria é a verdadeira fonte da esperança. A Ela vos entrego e acompanho com a minha Bênção".

Em um modo particular o Santo Padre saudou os enfermos dizendo palavras de encorajamento e esperança. De acordo com o pontífice, a sensação de inutilidade do sofrimento consome a pessoa em seu próprio íntimo e a faz sentir-se um peso para os outros. Contudo, ao contrário, "o verdadeiro significado do sofrimento é aquele de salvação do mundo", lembrou o Papa, que, por fim, encorajou os enfermos a encontrarem no sofrimento "a paz interior e até mesmo a alegria espiritual".

Depois da missa, o Santo Padre foi venerar os túmulos dos pastorinhos, Francisco, Jacinta e Lúcia, que estão dentro da Basílica do Santuário.

Nenhum comentário: