Destaque:

El centenario de las apariciones de la Virgem Maria en Fatima

Rosa Caroline Crespo Fernández Valderi da Silva En su visita al santuario de Fátima en 1982, San Juan Pablo II proclamaba que "a ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Justiça e perdão são os pilares da paz, diz Papa Bento XVI

 Tradução - logo animado Vaticano, 22 abr. 10 (ACI) .- Ao receber esta manhã as credenciais do novo embaixador da antiga República jugoslava da Macedónia, Gjorgjevski Gjoka, o Papa Bento XVI disse que a justiça eo perdão são os pilares da paz tão necessária na sociedade de hoje .
Em seu discurso, o Papa recordou as boas relações entre a antiga República Jugoslava da Macedónia e da Santa Sé, caracterizada pela cooperação e expressou sua calorosa "pelo compromisso que levou à recente construção de novos edifícios para o culto católico várias partes do país. "
"O povo macedônio são sinais evidentes de valores humanos e cristãos consagrados na vida das pessoas, que são espirituais e significativos do património cultural da nação, que também são testemunhas eloqüentes da esplêndidos monumentos religiosos construídos em diferentes épocas e locais ".
O Papa sublinhou que a Santa Sé espera que o legado ", com grande estima e respeito, e, assim, como é a sua concorrência, histórico e documental aprofundamento de uma melhor compreensão do passado religioso e cultural." Pensando que o património e "identidade espiritual forte", o povo macedônio "fornecerá conhecimentos para o consórcio dos povos europeus", disse Bento XVI.
Então, ele prometeu conseguir "subindo as aspirações e os esforços do país para fazer parte de uma Europa unida em uma condição de aceitar os direitos e deveres e no respeito mútuo e órgãos colegiados dos valores tradicionais de cada povo. "
O compromisso dos macedônios promover o diálogo ea coexistência entre as diferentes realidades étnicas e religiosas que constituem o país, disse o papa citou o diplomata, "ajudaram a criar um clima no qual as pessoas reconhecem como irmãos filhos do mesmo Deus e os cidadãos de um país. "
"Obviamente, é essencialmente da responsabilidade das instituições individualizar como traduzir as aspirações políticas iniciativas de homens e mulheres para o diálogo ea paz. Crentes, porém, sabemos que a paz não é simplesmente o resultado de planejamento e as atividades humanas, mas sobretudo um dom de Deus aos homens de boa vontade. Justiça e perdão são os pilares dessa paz. Justiça garante o pleno respeito dos direitos e deveres, e perdão e cura reconstruído a partir do zero as relações entre as pessoas, que ainda sofrem as consequências dos confrontos entre as ideologias do passado recente. "
"Passe o trágico período da última guerra mundial, depois da triste experiência do totalitarismo que nega os direitos fundamentais dos seres humanos, o povo macedônio está caminhando para um progresso harmonioso. A estabilidade social eo desenvolvimento económico não pode ignorar a cultural, pessoas social e espiritual, e deve aumentar ainda mais as tradições e os nobres recursos popular ", disse o Papa.
Por outro lado, devemos estar cientes de que, embora a globalização envolve "um nivelamento da diversidade social e econômica", também pode "agravar o desequilíbrio entre os que beneficiam da crescente capacidade para produzir riqueza e aqueles à esquerda margem de progresso ".
"Espero que em um contexto global do relativismo moral e pouco interesse na experiência religiosa, que muitas vezes se move uma parte da sociedade europeia," o povo macedônio "conhecer a sabedoria para ser aberto novos horizontes da verdadeira civilização e verdadeiro humanismo ".
"Para isso, temos de manter viva e forte, tanto a nível pessoal e comunitário, os princípios que fundamentam a civilização desse povo: o apego à família, a defesa da vida humana, especialmente a promoção do necessidades religiosas dos jovens. "
A Igreja Católica na Macedónia, concluiu o Papa, "embora constitua uma minoria pretende oferecer o seu contributo sincero para construir uma sociedade mais justa e fraterna, baseada nos valores cristãos que têm enriquecido a consciência de seus habitantes."

Nenhum comentário: