Destaque:

El centenario de las apariciones de la Virgem Maria en Fatima

Rosa Caroline Crespo Fernández Valderi da Silva En su visita al santuario de Fátima en 1982, San Juan Pablo II proclamaba que "a ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

quarta-feira, 17 de março de 2010

“Conhecimento e amor são dois aspectos essenciais na pesquisa teológica”, afirma o Papa


Publicado 2010/03/17
Autor: Gaudium Press
papa-na-audiência-geral.jpg
Papa comparou a teologia de São Tomas de Aquino e São Boaventura; ambos juntaram fé e razão
Cidade do Vaticano (Quarta-feira, 17-03-2010, Gaudium Press) A primazia do amor na teologia de São Boaventura foi o tema da catequese apresentada hoje pelo Papa Bento XVI na audiência geral da semana, o encontro tradicional das quartas-feiras com os fiéis. Pela terceira semana consecutiva, o Santo Padre apresenta em modo aprofundado a teologia do santo sobre o qual dedicou sua tese de habilitação.
Hoje, Bento XVI comparou a teologia de São Tomás de Aquino com aquela de São Boaventura, as duas que, segundo explicou, representam o ápice do pensamento cristão na Idade Média, "com um diálogo fecundo entre fé e razão". São Boaventura desenvolveu ambos os aspectos da teologia, o teórico (primazia do conhecimento) e o prático (primazia do amor).
Para São Tomás, na teologia prevalece o aspecto intelectual, pois, ao conhecimento de Deus, segue o trabalho segundo sua vontade, fazer o bem. São Boaventura, sem opor-se a isso, ao conhecimento e ao trabalho acrescenta a contemplação, que é o afeto provocado ao encontrar quem amamos explicou o Santo Padre.
Não renunciando na Teologia a compreender com a razão, São Boaventura não se detém na simples satisfação do saber, pois se busca sempre conhecer melhor o amado e amá-lo cada vez mais.
"A teologia deveria sempre se empenhar em conhecer Deus com sabedoria e contemplação", observou o Papa, salientando que "o amor a Deus é o destino último do homem". Em seu estudo teológico, São Boaventura assinalou a necessidade da razão e do coração porque no amor é possível "ver mais".
Em português, o Santo Padre fez uma breve síntese de sua catequese:
"Queridos irmãos e irmãs. São Boaventura, ao lado de Santo Tomás de Aquino, seu contemporâneo, foi responsável por um grande desenvolvimento no diálogo entre a fé e a razão que caracteriza a Idade Média. Partindo de pressupostos comuns, ressaltaram aspectos diversos na sua reflexão teológica; Santo Tomás, por exemplo, insiste na primazia da verdade, enquanto que para Boaventura a categoria mais importante é o Bem. No fundo, trata-se de acentos diversos de uma visão fundamentalmente comum que mostram a fecundidade da fé na diversidade das suas expressões. Na teologia de Boaventura o primado do Amor se explica, por um lado, pelo próprio carisma franciscano e, por outro, pela influência das obras do chamado Pseudo-Dionísio Areopagita, um autor siríaco que afirmava que diante de Deus, quando a razão chega ao seu limite, o amor consegue penetrar mais profundamente no Mistério divino. Por fim, Boaventura afirma que toda criação fala de Deus, do Deus bom, belo; do seu amor, por isso, toda a nossa vida é uma peregrinação rumo a Deus".
"Saúdo os peregrinos de língua portuguesa, desejando que esta visita aos lugares santificados pela pregação e martírio dos Apóstolos Pedro e Paulo vos ajude a reafirmar sempre mais a fé que opera pela caridade. Que Deus abençoe a vós e às vossas famílias", cumprimentou o Papa.
As audiências gerais, depois de uma longa pausa de inverno, voltaram à Praça de São Pedro. Hoje pela manhã, estiveram presentes cerca de 11 mil peregrinos, segundo a Prefeitura da Casa Pontifícia.

Nenhum comentário: