Destaque:

El centenario de las apariciones de la Virgem Maria en Fatima

Rosa Caroline Crespo Fernández Valderi da Silva En su visita al santuario de Fátima en 1982, San Juan Pablo II proclamaba que "a ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

domingo, 31 de janeiro de 2010

O novo ano e o guerreiro da luz

Um guerreiro da luz nunca esquece a gratidão. Durante 365 dias passados, foi ajudado pelos anjos; as forças celestiais colocaram cada coisa em seu lugar, e permitiram que ele pudesse dar o melhor de si. E foi ajudado por seus amigos, que estiveram do seu lado. Um guerreiro não precisa que ninguém lhe recorde a ajuda dos outros; ele se lembra sozinho, divide com eles a recompensa e as decisões para o futuro.

Aprendendo a esperar

Um guerreiro da luz respeita o principal ensinamento do I Ching: "a perseverança é favorável". Mas sabe que perseverança nada tem a ver com a insistência. Existem épocas que os combates se prolongam além do necessário, exaurindo suas forças e enfraquecendo seu entusiasmo. Nestes momentos, o guerreiro reflete: "uma guerra prolongada termina destruindo o próprio país vitorioso".
Então retira suas forças do campo de batalha, e dá uma trégua a si mesmo. Persevera em sua vontade, mas sabe esperar o melhor momento para um novo ataque. Um guerreiro sempre volta à luta. Mas nunca faz isto por teimosia - e sim porque nota a mudança no tempo.

Entendendo as próprias qualidades

Um guerreiro da luz conhece seus defeitos. Mas conhece também suas qualidades. Alguns companheiros queixam-se o tempo todo: "os outros tem mais oportunidade que nós". Talvez tenham razão; mas um guerreiro não se deixa paralisar por isto; ele procura valorizar ao máximo as suas virtudes.
Sabe que o poder da gazela é a habilidade de suas pernas. O poder da gaivota é sua pontaria para atingir o peixe. Aprendeu que um tigre não tem medo da hiena, porque é consciente de sua força. Um guerreiro procura saber se pode contar com estas três virtudes: habilidade, pontaria, e consciência de si mesmo. Se as três estão presentes, ele não hesita em seguir adiante. Se não estão, adestra-se até que possa confiar em suas atitudes.

Aprendendo o objetivo

Um guerreiro da luz, antes de entrar num combate importante, pergunta a si mesmo: "até que ponto desenvolvi minha habilidade?" Ele sabe que as batalhas que travou no passado sempre terminaram por ensinar alguma coisa. Entretanto, muitos destes ensinamentos fizeram o guerreiro sofrer além do necessário. Em mais de uma vez, ele perdeu seu tempo, lutando por uma mentira. Mas os vitoriosos não repetem o mesmo erro. Um guerreiro não pode recusar a luta; mas sabe também que não deve arriscar sentimentos importantes, em troca de recompensas que não estão a altura do seu amor. Por isso o guerreiro só arrisca seu coração por algo que vale a pena.

Nenhum comentário: