Destaque:

El centenario de las apariciones de la Virgem Maria en Fatima

Rosa Caroline Crespo Fernández Valderi da Silva En su visita al santuario de Fátima en 1982, San Juan Pablo II proclamaba que "a ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

MOZART, SEMPRE MOZART

A data já passou, mas a vontade de escrever algo sobre o aniversário da morte deste gênio fez com que agora acabasse sendo vencido pela impetuosa inclinação de escrever.

Mozart - Monumento Mozart, ou melhor, Amadeus Mozart é indiscutivelmente o exemplo da genialidade musical na dimensão da criatividade nesta arte conjugada com perfeição. Não se trata de fazer referência a sua biografia, que mostra uma pessoa perturbada ou mais, mas sim de ver o quanto a flexibilidade e a ousadia morou na arte clássica. Mozart teve esta capacidade, a de fazer o clássico não ser estático, não ser considerado monótono para as mentes modernas de agora.

Quanto a isso é que prefiro fazer referência tratando agora de Mozart, da contribuição deste gênio a toda mentalidade musical da humanidade. Graças a ele as mentes “acordaram” para mais um detalhe da apetência musical do ser humano. A música como a filosofia tem este poder de naturalmente ser eclético, ser moldável conforme as atribuições hodiernas que nos cercam. Mediante as variações exigidas pelo tempo, a música pode dar resposta, talvez neste sentido ela pareça ser mais eficiente que a filosofia!

A música de Mozart transpôs o limiar que fazia da música clássica reservada a uma parcela que detinha conhecimento do seu estilo. Acredito que Mozart nem pôde fazer idéia do que sua genialidade trouxe a cultura musical dos homens.

Mozart sempre será ouvido assim, com alegria de quem descobriu naquele instante que a música clássica pode ser mais atrativa que já vimos.

Mozart, sempre Mozart!

Nenhum comentário: