Destaque:

A retrospectiva de Brás Cubas

Tenho grande apreço por Machado de Assis, pois acredito que sua contribuição para a Literatura Brasileira foi muito além de incrementar ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

domingo, 1 de novembro de 2009

Árabes e judeus

Embora em permanente conflito político, estas duas culturas nos legaram uma sabedoria extraordinária. A seguir, algumas destas histórias de luz:

A respostapaulo-coelho
Certa vez um homem interrogou o rabino Joshua bem Karechah:
- Por que Deus escolheu um espinhal para falar com Moisés?
O rabino respondeu:
- Se ele tivesse escolhido uma oliveira ou uma amoreira, você teria feito a mesma pergunta.
Mas não posso deixá-lo sem uma resposta: por isso digo que Deus escolheu um mísero e pequeno espinhal para ensinar que não há nenhum lugar na terra onde Ele não esteja presente.
A importância da alegria
Al Husayn perguntou a Ibn Muhammad:
- Será que o grande profeta de nossa religião, Maomé, sabia contar coisas engraçadas?
Ibn Muhammad respondeu:
- Deus enviou nosso profeta com o dom da alegria.
Já havia enviado outros mensageiros antes, que sofreram e falaram a linguagem da dor; Maomé veio para aliviar as penas do seu povo.
"E uma das maneiras que encontrou, foi justamenteensinando-os a brincar e se divertir. Fazia isto para manter seus homens unidos num mesmo ideal e propósito. Meu pai, que conheceu o Profeta, escutou-o dizer: "Deus odeia todos aqueles que vivem de cara triste diante de seus amigos'".
Por que contar histórias
Elie Wiesel conta que o grande Rabino Israel Shem Tov, quando via que os judeus estavam sendo maltratados, ia para a floresta,
acendia um fogo sagrado, e fazia uma reza especial, pedindo a Deus que protegesse seu povo. E Deus enviava um milagre. Mais tarde, seu discípulo Maggid de Mezritch, seguindo os passos do mestre, ia para o mesmo lugar da floresta e dizia: "Mestre do Universo, eu não sei como acender o fogo sagrado, mas ainda sei a reza especial; escuta-me, por favor!" O milagre acontecia.
Uma geração se passou, e o rabino Moshe-leib of Sasov, quando via as perseguições ao seu povo, ia para a floresta, dizendo: "Eu não sei acender o fogo sagrado, nem conheço a prece especial, mas ainda me lembro do lugar. Ajudai-nos, Senhor!"
E o Senhor ajudava.
Cinqüenta anos depois, o rabino Israel de Rizhin, em sua cadeira de rodas, falava com Deus: "Não sei acender o fogo sagrado, não conheço a oração, e não consigo sequer achar o lugar na floresta. Tudo que posso fazer é contar esta história, esperando que Deus
me escute".
E contar a história foi suficiente para que o perigo se afastasse; segundo Wiesel, Deus criou o homem porque Ele adora histórias.

Nenhum comentário: