Destaque:

El centenario de las apariciones de la Virgem Maria en Fatima

Rosa Caroline Crespo Fernández Valderi da Silva En su visita al santuario de Fátima en 1982, San Juan Pablo II proclamaba que "a ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

«Ele impunha as mãos sobre cada um deles e os curava. De muitas pessoas saíam demônios, gritando»

Comentário: Rev. D. Blas RUIZ i López (Ascó, Tarragona, Espanha)

Hoje, nos encontramos ante um claro contraste: a gente que procura a Jesus e Ele que cura toda ?doença? (começando pela sogra de Simão Pedro); à vez, «de muitas pessoas saíam demônios, gritando» (Lc 4,41). Quer dizer: bem e paz, por um lado; mal e desespero, pelo outro.Não é a primeira ocasião que aparece o demônio ?saindo?, isto é, fugindo da presença de Deus entre gritos e exclamações. Lembremos também o endemoninhado de Gerasa (cf. Lc 8,26-39). Surpreende que o próprio demônio ?reconheça? a Jesus e que, como no caso daquele de Gerasa, é ele mesmo quem sai ao encontro de Jesus (agora bem, muito raivoso e incomodado porque a presença de Deus incomodava a sua vergonhosa tranqüilidade).¡Tantas vezes nós também pensamos que encontrar-se com Jesus nos atrapalha! Nos atrapalha ter que ir à Missa no domingo; nos perturba pensar que faz muito que não dedicamos um tempo à oração; sentimos vergonha dos nossos erros, em lugar de ir ao Medico da nossa alma para pedir-lhe simplesmente perdão... ¡Pensemos se não é o Senhor quem tem que vir a nos encontrar, pois nós mesmos nos fazemos rogar para deixar a nossa pequena ?caverna? e sair ao encontro de quem é o Pastor das nossas vidas! Isto se chama, simplesmente, tibieza.Tem um diagnóstico para isto: atonia, falta de tensão na alma, angustia, curiosidade desordenada, hiperatividade, preguiça intelectual com as coisas da fe, pusilanimidade, vontade de estar só consigo mesmo... E existe também um antídoto: deixar de se olhar a sim mesmo e se por mãos à obra. Fazer o pequeno compromisso de dedicar um momento cada dia a olhar e escutar a Jesus (o que se entende por oração): Jesus o fazia, pois «de manhã, bem cedo, Jesus saiu e foi para um lugar deserto» (Lc 4,42). Fazer o pequeno compromisso de vencer o egoísmo numa pequena coisa cada dia pelo bem dos outros (isto se chama amar). Fazer o pequeno-grande compromisso de viver cada dia em coerência com nossa vida Cristiana.

Nenhum comentário: