Destaque:

A retrospectiva de Brás Cubas

Tenho grande apreço por Machado de Assis, pois acredito que sua contribuição para a Literatura Brasileira foi muito além de incrementar ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

sábado, 30 de maio de 2009

SOLENIDADE DE PENTECOSTES

VIGÍLIA

[leituras]

Hoje temos esta grande Solenidade de Pentecostes. Esta festa é, junto com oNatal e a Páscoa, uma das maiores que temos pelo seu fato indubitável e também pela sua importância vital para nós.

Na Liturgia desta Solenidade encontramos a já conhecida história da Torre de Babel. Nesta pequena anedota nos deparamos com a cobiça humana que leva a outros erros também, e com a intervenção divina que não permite que os homens levem adiante seus planos de alcançarem os céus. Mas porque Deus não iria querer que os homens alcançassem o céu? Imagino que seja fácil de imaginar: estes homens queriam alcançar as alturas para serem “famosos” por pura glória pessoal! Na verdade, esta torre que os homens querem construir para chegarem às alturas, é imagem do que os homens são capazes de fazer para ser como Deus... na realidade esta história fala disso: querer ser como Deus, por isso chegar aonde só Deus pode chegar. Mas Deus vendo os homens enganados por acharem que assim vão conseguir glória, ou ter poder, intervém causando confusão na comunicação entre eles.

Na segunda leitura, Paulo na carta a comunidade dos Romanos faz com que relembremos que estamos a espera de algo, que ainda não aconteceu. Os homens e a criação inteira esperam pelo dia final, dia da libertação do corpo que leva ao pecado pelas diversas tentações que ele sofre. Enquanto esperamos ansiosos este dia, o Espírito Santo nos consola, por isso é Consolador. Auxilia-nos nesta caminhada, por isso é o Auxiliador. A esperança que é guiada pelo Espírito Santo não vê o que se espera, porque está sendo conduzida pelo próprio Deus que é o que esperamos. Por isso São Paulo diz: o objeto da esperança não é aquilo que a gente está vendo; como pode alguém esperar o que se vê?

No evangelho Jesus declara o enorme efeito que terá aquele que está com o Espírito Santo: rios de água viva jorrarão do seu interior. Caríssimos irmãos, o Espírito Santo é o condutor do Cristão! Para o cristão ser santo, para seguir a Cristo, para seguir os mandamentos de Deus, só com o Espírito Santo.

MISSA

[leituras]

Na segunda leitura ouvimos de Paulo: ninguém pode dizer: Jesus é o Senhor a não ser no Espírito Santo. Este Espírito move tudo e todos a fazerem todas as coisas ou mesmo professarmos nossa fé. Aliás, podemos dizer que só fazemos nossa fé crescer em Jesus por força do Espírito Santo. Ele move e inspira todos a professarem a mesma fé em Jesus Cristo. Desta forma fez com que os discípulos falando em sua língua fossem compreendidos por todos de diversos idiomas, não porque eles de repente aprenderam novas línguas, mas porque Deus quer que todos sejam atingidos por sua mensagem, esta é a eficácia do Espírito. Desejando a todos atingir para que conheçam e amem a Deus, inspira e move a muitos a fazerem coisas extraordinárias.

Este mesmo Espírito é não só o inspirador e motivador, mas também o unificador. Encerramos neste Domingo a Semana de Orações pela Unidade dos Cristãos. É graças ao Espírito que podemos ser unidos mesmo com diferenças. Claro que união não significa uniformidade, ou perda de identidade. Todos podem ser mais unidos para que o Corpo de Cristo não seja separado, mas tenha todos os membros juntos para formar o verdadeiro Corpo de Cristo. E é claro que este Corpo de Cristo esta presente em sua Igreja. Ela é um corpo, este Corpo de Nosso Senhor, onde muitos e diversos membros com suas mais variadas qualidades, fazem todas as obras necessárias para levar a todos o chamamento de Cristo para estarem com Deus.

Caríssimos irmãos! Deste modo, não nos é permitido ainda conjecturar se devemos nos aproximar ou não da Igreja, de suas frentes de evangelização, de engajamento nas mais variadas pastorais. O Espírito Santo é o que move todas, e movendo todas, inspira e da força a todos os seus membros.

No evangelho de hoje Jesus dá o pleno poder aos seus discípulos para iniciarem a família de Deus. Assim inicia a Igreja, e inicia com este ultimo mandato de Cristo: a quem perdoardes os pecados lhes serão perdoados... A Igreja inicia com esta missão, porque é necessário que primeiro nos convertamos à Cristo e nos arrependamos de nossos desvios e pecados. Recebei o Espírito Santo... Aqueles discípulos receberam o sopro de Deus, e com isso receberam o Seu Espírito. Só assim comeram a ser aptos para propagarem o evangelho, por isso era tão necessário o Paráclito vindo de Deus depois que Jesus ascendesse.

[eficácia do Espírito]

O Espírito Santo é o continuador da obra de Cristo. Ele leva os discípulos a pregar o Evangelho de Jesus. Ele fez nascer a Igreja, os discípulos convictos de Cristo, e é dado à Igreja para vencer o pecado, como fez Jesus, o “cordeiro que tira o pecado do mundo”. O Espírito Santo é a atualidade de Jesus. Por isso, ele é a alma do Corpo de Cristo, que é a Igreja. Ele faz com que Jesus atue no mundo de hoje através da Igreja. Ele faz com que ele não seja uma organização burocrática, empenhada apenas em se perpetuar, mas constante encarnação do mesmo Espírito que veio sobre Jesus no seu batismo e que o levou a realizar sua missão de ser palavra de amor de Deus para o mundo. Neste sentido, ele é o Espírito do Pai e do Filho, como diz o credo. Ninguém pode alegar a inspiração do Espírito Santo se não está na linha de Jesus, se não está de acordo com este Corpo de Cristo: a Igreja. Mas também ninguém pode cumprir a missão recebida de Jesus se não se deixa animar pelo Espírito, que Jesus mesmo pede ao Pai por nós. Cristo é dinâmico e atual em nós, graças ao Espírito Santo.

[os dons do Espírito]

Vivemos um tempo de grande riqueza em nossa Igreja. Quantos jovens e adultos fazem as comunidades, as famílias saírem de sua passividade e acomodação para tomarem seus membros sujeitos da própria historia através da partilha de seus dons.

Os sete dons: Sabedoria, inteligência, ciência, conselho, fortaleza, piedade e temor de Deus ajudam a entender os planos de Deus na vida de cada cristão. Mas, também, capacitam para superar o perigo da indiferença e do medo, para amar a Deus como Pai. Estes dons, ainda, empenham os cristãos na luta por um mundo mais justo e humano e para perseverar na fé e na esperança, mesmo em meio aos desafios e dificuldades.

Eles resumem toda a ação do Espírito Santo nas pessoas.

Os dons doados pelo Espírito de Deus não tornam as pessoas passivas, inertes, acomodadas. Mas, pelo contrário, o cristão que toma consciência de que está imbuído por seus dons, transforma sua vivência.

Um cristão crismado que não ajuda a transformar, a mudar a sociedade em que vive, certamente engavetou seus dons.

Estes dons tem as sua particularidades. Assim a Saberia nos leva ao verdadeiro conhecimento de Deus e a buscar os reais valores da vida. O homem sábio e a mulher sábia é aquele(a) que pratica a justiça, tem um coração misericordioso, ama intensamente a vida, porque a vida vem de Deus. O dom da Inteligência nos leva a entender e a compreender as verdades da salvação, reveladas na Sagrada Escritura e nos ensinamentos da Igreja. A Ciência capacidade a descobrir, inventar, recriar formas, maneiras para salvar o ser humano e a natureza. Suscita atitudes de participação, de luta e de ousadia, frente a cultura da morte. Conselho: É o dom de orientar e ajudar a quem precisa. Ele permite dialogar fraternalmente, em família e comunidade, acolhendo o diferente que vive em nosso meio. Este dom capacita a animar os desanimados, a fazer sorrir os que sofrem, a unir os separados ... Fortaleza é o dom de tornar as pessoas fortes, corajosas para enfrentar as dificuldades da fé e da vida. Ajuda aos jovens a ter esperança no futuro, aos pais assumirem com alegria seus deveres, às lideranças a perseverarem na conquista de uma sociedade mais fraterna. Piedade é o dom da intimidade e da mística. Coloca-nos numa atitude de filhos buscando um dialogo profundo e íntimo com Deus. Acende o fogo do amor: amor a Deus e amor aos irmãos. E por fim, Temor de Deus. Este dom nos dá a consciência de quanto Deus nos ama. "Ele nos amou antes de tudo". Por isso, precisamos corresponder a este amor.

Nenhum comentário: