Destaque:

A retrospectiva de Brás Cubas

Tenho grande apreço por Machado de Assis, pois acredito que sua contribuição para a Literatura Brasileira foi muito além de incrementar ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

quinta-feira, 28 de maio de 2009

EC - Mistério da fé I


Cf. EC nn. 12-13
"Eis o mistério da fé". Cada vez que paricipamos de uma Santa Missa, anunciamos este mistério, o mistério que acabamos de viver!
Naquela angustiosa ceia, Jesus demonstrou sua humildade ao lavar os pés de seus discípulos, mas algo mais imprecionante estaria por fazer: doar antes da sua morte na cruz, seu corpo e seu sangue. 
A Igreja celebra este memorial que neste dia foi instituído por Cristo. Este memorial da sua entrega e doação por nós é o centro da celebração da Igreja que, cada vez que é celebrado torna-se presente em ato no tempo. A Igreja faz continuamente a atualização do memorial de Cristo, o Gólgota mais uma vez aparece agora sobre o altar, onde esta lá a humanidade de Jesus - o pão e o vinho - e a divindade que pela unção do sacerdote, desce sobre as oferendas transubstânciando-as em Corpo e Sangue de Cristo Nosso Senhor.
Ele não apenas se satisfez em dar a conhecer aos discípulos que oque estavam para receber era o Seu corpo e sangue, mas fez questão de dar-lhes também o motivo, exprimindo assim o seu valor sacrificial, "entregue por vós... derramado por vós" (Lc 22, 19-20). Assim, não somente realizou naquele momento esta entrega mas deixou-nos a maneira e a capacidade para repetirmos este gesto redentor, em Sua memória e para nossa salvação.
"A Missa torna presente o sacrifício da cruz; não é mais um, nem o multiplica.(1) O que se repete é a celebração memorial, a « exposição memorial » (memorialis demonstratio),(2) de modo que o único e definitivo sacrifício redentor de Cristo se actualiza incessantemente no tempo. Portanto, a natureza sacrificial do mistério eucarístico não pode ser entendida como algo isolado, independente da cruz ou com uma referência apenas indirecta ao sacrifício do Calvário."(3)
_____________________
1 « Trata-se realmente de uma única e mesma vítima, que o próprio Jesus oferece pelo ministério dos sacerdotes, Ele que um dia Se ofereceu a Si mesmo na cruz; somente o modo de oferecer-Se é que é diverso »: Conc. Ecum. de Trento, Sess. XXII, Doctrina de ss. Missæ sacrificio, cap. 2:DS 1743.
2 Pio XII, Carta enc. Mediator Dei (20 de Novembro de 1947): AAS 39 (1947), 548.
3 Ecclesia de Eucharistia nn.13

Nenhum comentário: