Destaque:

El centenario de las apariciones de la Virgem Maria en Fatima

Rosa Caroline Crespo Fernández Valderi da Silva En su visita al santuario de Fátima en 1982, San Juan Pablo II proclamaba que "a ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

domingo, 12 de abril de 2009

Questionando a busca

E os maus discípulos? Um discípulo perguntou a Firoz:- A simples presença de um mestre faz com que todo tipo de curioso se aproxime, até para descobrir algo do que se beneficiar. Isto não pode ser prejudicial e negativo? Isto não pode desviar o mestre do seu caminho, ou fazer com que sofra, pois não conseguiu ensinar o que queria?Firoz, o mestre sufi, respondeu:- A visão de um abacateiro carregado de frutas desperta o apetite de todos os que passam por perto. Se alguém deseja saciar sua fome além da sua capacidade, termina comendo mais abacates do que o necessário, e passa mal. Entretanto, isto não causa nenhum tipo de indigestão ao dono do abacateiro."O mesmo se passa com a Busca. O caminho precisa estar aberto para todos, mas Deus se encarrega de colocar os limites de cada um".Respeitando os limitesUm arqueiro caminhava pelas redondezas de um mosteiro hindu. Era conhecido pela dureza nos seus ensinamentos. Viu, então, os monges no jardim, bebendo e se divertindo.- Como são cínicos aqueles que buscam o caminho de Deus - o arqueiro comentou em voz alta. - Dizem que a disciplina é importante, e se embriagam às escondidas!- Se você disparar cem flechas seguidas, o que acontecerá com o seu arco? - perguntou o mais velho dos monges.- Meu arco se quebrará.- Se alguém se esforça além dos seus próprios limites, também quebra sua vontade. Quem não equilibra trabalho com descanso, perde o entusiasmo, esgota sua energia, e não chega muito longe.A cidade escondida.Um eremita do mosteiro de Sceta se aproximou do Abade Teodoro:- Sei exatamente qual o objetivo da vida. Sei o que Deus pede ao homem, e conheço a melhor maneira de servi-Lo. E, mesmo assim, sou incapaz de fazer tudo o que devia estar fazendo para servir ao Senhor.O abade Teodoro ficou um longo tempo em silêncio. Finalmente, disse:- Você sabe que existe uma cidade do outro lado do oceano. Mas ainda não encontrou o navio, não colocou sua bagagem a bordo, e não cruzou o mar. Por que ficar comentando como ela é, ou como devemos caminhar por suas ruas? "Saber o objetivo da vida, ou conhecer a melhor maneira de servir ao Senhor, não basta. Coloque em prática o que você está pensando, e o caminho se mostrará por si mesmo".
"Ser como o rio que flui"
- coleção de colunas publicadas neste espaço, a venda em todas as livrarias. paulo@paulocoelho.com.br

Nenhum comentário: