Destaque:

A retrospectiva de Brás Cubas

Tenho grande apreço por Machado de Assis, pois acredito que sua contribuição para a Literatura Brasileira foi muito além de incrementar ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

domingo, 26 de outubro de 2008

Em torno da Justiça Humana


As leis fundamentaisUm grupo de sábios judeus reuniu-se para tentar criar a menor Constituição do mundo. Se alguém fosse capaz de definir - no espaço de tempo que um homem leva para equilibrar-se em um só pé - as leis que deviam reger o comportamento humano, este seria considerado o maior de todos os sábios.- Deus pune os criminosos - disse um.Os outros argumentaram que isto não era uma lei, mas uma ameaça; a frase não foi aceita.- Deus é amor - comentou outro. De novo, os sábios não aceitaram a frase, dizendo que ela não explicava direito os deveres da humanidade. Neste momento, aproximou-se o rabino Hillel. E, colocando-se num só pé, disse:- Não faça com seu próximo aquilo que você detestaria que fizessem com você; esta é a Lei. Todo o resto é comentário jurídico.E o rabino Hillel foi considerado o maior sábio de seu tempo.Do arrependimento sincero O monge Chu Lai era agredido por um professor, que não acreditava em nada do que ele dizia. Entretanto, a mulher do professor era seguidora de Chu Lai - e exigiu que seu marido fosse pedir desculpas ao sábio.Contrariado, mas sem coragem de contrariar a mulher, o homem foi até o templo e murmurou algumas palavras de arrependimento.- Eu não o perdôo - disse Chu Lai. - "Volte ao trabalho".A mulher ficou horrorizada:- Meu marido se humilhou, e o senhor - que se diz sábio - não foi generoso!Respondeu Chu Lai:- Dentro de minha alma não existe nenhum rancor. Mas, se ele não está arrependido, é melhor reconhecer que tem raiva de mim. Se eu tivesse aceito seu perdão, íamos estar criando uma falsa situação de harmonia - e isto aumentaria ainda mais a raiva de seu marido.Mudando a atitude- Pelo período de um ano, pague uma moeda a quem lhe agredir - disse o abade a um jovem que queria seguir o caminho espiritual.Nos doze meses seguintes, o rapaz pagava uma moeda sempre que era agredido.No final do ano, voltou ao abade, para saber o próximo passo.- Vá até a cidade comprar comida para mim.Assim que o rapaz saiu, o abade disfarçou-se de mendigo e foi até a porta da cidade. Quando o rapaz se aproximou, começou a insultá-lo.- Que bom! - comentou o rapaz. - Durante um ano inteiro tive que pagar, e agora posso ser agredido de graça, sem gastar nada!Ouvindo isto, o abade retirou seu disfarce. - Quem não leva os insultos a sério, está no caminho da sabedoria.

Nenhum comentário: