Destaque:

El centenario de las apariciones de la Virgem Maria en Fatima

Rosa Caroline Crespo Fernández Valderi da Silva En su visita al santuario de Fátima en 1982, San Juan Pablo II proclamaba que "a ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

terça-feira, 1 de abril de 2003

De árabes e judeus

Embora em permanente conflito político, estas duas culturas nos legaram uma sabedoria extraordinária. A seguir, algumas destas histórias de luz:
A janela e o espelho
Um jovem, muito rico, foi encontrar-se com um rabino e lhe pediu um conselho para orientar a vida. Este o conduziu até a janela:
- O que vês através dos vidros?
- Vejo homens passando e um cego pedindo esmolas na rua.
Então o rabino mostrou-lhe um grande espelho:
- E agora, o que vês?
- Vejo a mim mesmo.
- E já não vês os outros! Repara que a janela e o espelho são ambos feitos da mesma matéria-prima: o vidro. Mas no espelho, porque há uma fina camada de prata colada a vidro, enxergas apenas a ti mesmo. Deves comparar-te a estas duas espécies de vidro. Pobre, prestavas atenção aos outros e tinhas compaixão por eles. Coberto de prata - rico - só consegues admirar teu próprio reflexo.
A importância da alegria
Al Husayn perguntou a Ibn Muhammad:
- Será que o grande profeta de nossa religião, Maomé, sabia contar coisas engraçadas?
Ibn Muhammad respondeu:
- Deus enviou nosso profeta com o dom da alegria. Já havia enviado outros mensageiros antes, que sofreram e falaram a linguagem da dor. Maomé veio para aliviar as penas do seu povo.
"E uma das maneiras que encontrou, foi justamente ensinando-os a brincar e se divertir. Fazia isto para manter seus homens unidos num mesmo ideal e propósito. Meu pai, que conheceu o Profeta, escutou-o dizer: "Deus odeia todos aqueles que vivem de cara triste diante de seus amigos"."
Por que contar histórias?
Elie Wiesel conta que o grande Rabino Israel Shem Tov, quando via que os judeus estavam sendo maltratados, ia para a floresta, acendia um fogo sagrado, e fazia uma reza especial, pedindo a Deus que protegesse seu povo. E Deus enviava um milagre.
Mais tarde, seu discípulo Maggid de Mezritch, seguindo os passos do mestre, ia para o mesmo lugar da floresta e dizia: "Mestre do Universo, eu não sei como acender o fogo sagrado, mas ainda sei a reza especial; escuta-me, por favor!" O milagre acontecia.
Uma geração se passou, e o rabino Moshe-leib of Sasov, quando via as perseguições ao seu povo, ia para a floresta, dizendo: "Eu não sei acender o fogo sagrado, nem conheço a prece especial, mas ainda me lembro do lugar. Ajudai-nos, Senhor!" E o Senhor ajudava.
Cinqüenta anos depois, o rabino Israel de Rizhin, em sua cadeira de rodas, falava com Deus: "Não sei acender o fogo sagrado, não conheço a oração, e não consigo sequer achar o lugar na floresta. Tudo que posso fazer é contar esta história, esperando que Deus me escute".
E contar a história foi suficiente para que o perigo se afastasse; segundo Wiesel, Deus criou o homem porque Ele adora histórias.
O que está escrito
Um cego mendigava no caminho que leva a Meca, quando um piedoso muçulmano se aproximou, perguntando se o povo estava dando generosamente - como manda o Corão. O homem mostrou-lhe a pequena lata, quase vazia. Disse o visitante:
- Deixa-me escrever algo no cartão que você tem no pescoço.
Horas depois, o visitante retornou. O mendigo estava surpreso, porque tinha recebido uma quantidade enorme de dinheiro.
- O que você escreveu no cartão? - perguntou.
- Escrevi apenas: Hoje é um lindo dia de primavera, o sol brilha, e eu sou cego.

Nenhum comentário: