Destaque:

El centenario de las apariciones de la Virgem Maria en Fatima

Rosa Caroline Crespo Fernández Valderi da Silva En su visita al santuario de Fátima en 1982, San Juan Pablo II proclamaba que "a ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

terça-feira, 11 de fevereiro de 2003

Castañeda e o guerreiro implacável

Uma vez por ano publico aqui alguns textos de Carlos Castañeda, escritor e antropólogo, cujas pesquisas sobre o xamanismo mexicano influenciaram a maneira de minha geração olhar, sentir e perceber o mundo.
***
Um guerreiro é um caçador. Calcula todos os seus passos, mas uma vez feito isso, ele age. Abandona-se à vida, deixa-se guiar, está preparado para sobreviver em qualquer circunstância.
Ele age como se soubesse o que está fazendo, embora no fundo do seu coração respeite o Mistério, e está consciente de que não sabe absolutamente nada.
Seu único caminho possível é continuar agindo, sem medo e sem interrupção, evitando que as velhas rotinas do seu cotidiano se transformem em barreiras para seu comportamento.
Para que tenha êxito, as conquistas devem chegar suavemente, com muito esforço - mas sem qualquer tensão ou obsessão.
***
Nosso diálogo interno é o maior inimigo. Estamos sempre contando para nós mesmos como o mundo é, e como deveria ser; para entrar em uma realidade mágica, precisamos interromper esse diálogo, e deixar que o mundo se mostre em toda a sua generosidade e grandeza.
Quando conseguimos parar nosso diálogo interno, tudo é possível; até os projetos mais loucos se tornam viáveis. A partir daí, aceitamos nossa sorte com humildade, porque ela é nosso desafio vital.
***
É possível desviar-se do caminho que você traçou para si mesmo? Sim, é possível - se der ouvidos a todas as opiniões que seus semelhantes têm a respeito do que você pretende fazer. Isso é escravidão, e não leva ao seu sonho.
Um homem de conhecimento, porém, liberta-se dessas opiniões, e segue em frente. Sua liberdade é cara, mas esse preço não é impossível - portanto não desperdice seu tempo e seu poder, com medo das responsabilidades que um homem livre precisa aceitar.
***
Um homem de conhecimento reconhece a dor, mas não se entrega a ela. Precisa usar toda a sua energia para manter a alegria em sua alma, confia em suas decisões e no seu espírito de luta impecável. A força desse homem consiste em ter aceitado seu destino, e estar consciente de que pode cumpri-lo.
Enquanto um acadêmico procura consertar o mundo no seu escritório, mas as cinco da tarde volta para casa e esquece suas belas conquistas, um homem de conhecimento - porque não tem nada a perder - consegue seguir adiante dia e noite. Sabe que não pode consertar tudo, mas assim mesmo continua se dedicando a mudar aquilo que acha errado em si. E quando fracassa, não fica triste ou decepcionado consigo mesmo - nisso reside sua força de vontade.
***
Um guerreiro sabe o que o espera, e sabe também o que está esperando. Enquanto nada acontece, ele se alegra com a contemplação do mundo a sua volta.
Quando chega o momento de agir, segue seu curso como se conhecesse cada passo, e respeita os limites de sua busca. Para conseguir chegar onde deseja, abandona todo tipo de expectativa. A partir daí, ele conhece uma estranha paz. Fato de não esperar nada faz com que possa deter-se de vez em quando, examinar suas possibilidades, e reconsiderar a situação em que se encontra.
Entretanto, para poder usar esse momento de descanso com sabedoria, ele precisa aceitar que os outros momentos de sua existência serão sempre marcados pela necessidade de seguir adiante.

Nenhum comentário: