Destaque:

El centenario de las apariciones de la Virgem Maria en Fatima

Rosa Caroline Crespo Fernández Valderi da Silva En su visita al santuario de Fátima en 1982, San Juan Pablo II proclamaba que "a ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

terça-feira, 3 de setembro de 2002

Da verdadeira obediência

Abu Muhammad al-Jurayry costumava dizer: "A religião possui dez tesouros, que nos enriquecem. São cinco interiores e cinco exteriores. Todos aqueles que seguem o caminho espiritual devem estar conscientes disso.

"Eis os tesouros interiores: capacidade de ser verdadeiro, despreocupação com os nossos bens, humildade na aparência, equilíbrio para evitar dificuldades com os outros, e força para suportar nossa adversidade.

"Eis os tesouros exteriores: descobrir um Amor supremo, despertar o desejo de estar junto a este Amor, ter inteligência para ver as próprias faltas, abrir a consciência da vida, e ser grato pelas bênçãos".

A seguir, algumas histórias da busca espiritual:

A resposta exata

Um mestre e seus discípulos caminhavam pelo campo, conversando sobre os milagres de Deus, quando começou a chover. Todos correram para uma cabana que havia nas imediações.

Chegando ali, o mestre se virou para os alunos:

"Só os deixarei entrar se me derem a resposta exata".

Intrigados, os discípulos ficaram debaixo do aguaceiro, sem saber como agradar o mestre. Tremiam de frio, mas não conseguiam a resposta exata. Finalmente, depois de quase duas horas na chuva, um dos discípulos disse:

"Mestre, o senhor não fez nenhuma pergunta, e estamos aqui como doidos, buscando explicações. Não é sábio ficar procurando problemas, se nenhum problema nos foi colocado".

"Parabéns, esta é a resposta exata à situaçao que nos encontramos", disse o mestre, abrindo a porta.

Longe de todos os olhos

O xeque Junaid tinha um discípulo preferido. Inconformados, os outros foram reclamar.

"Vamos fazer uma prova. Quem vencer, será seu discípulo favorito', disseram eles.

O xeque concordou, e pediu que lhe trouxessem vinte pássaros. Deu um para cada discípulo e ordenou: "Será considerado o melhor aquele que conseguir: cada um deve matar o pássaro num lugar onde ninguém possa ver".

Cada discípulo procurou o lugar mais difícil possível. Todos cumpriram o pedido - exceto o favorito, que trouxe o pássaro vivo.

"Por que descumpriste minha ordem?", perguntou Junaid.

"Porque o mestre disse que tinha que matar esta ave em um lugar onde ninguém pudesse ver", respondeu o discípulo. "Em todas as partes onde fui, Deus estava me olhando."

"Você foi o único a entender meu pedido", disse Junaid. E os outros discípulos pediram desculpas por terem sido invejosos.

Em busca da maldade

Khrisna resolveu testar a sabedoria de seus súditos.

Convocou Duryodhana, um rei conhecido por sua crueldade, e pediu que encontrasse um homem bom em seu reino. Duryodhana viajou durante um ano, e voltou à presença de Khrisna, dizendo:

"Busquei um homem bom, e não encontrei. São todos egoístas e malvados".

Khrisna chamou o rei Dhammaraja, considerado um homem santo. Pediu que percorresse seu reino em busca de um homem malvado. Dhammaraja viajou durante dois anos, e voltou a Khrisna, dizendo:

"Perdoe-me, mas não encontrei ninguém mau. Todos têm um lado bom, apesar dos defeitos".

Então Khrisna comentou com os outros deuses: "Viram? O mundo é um espelho, e devolve a todos o reflexo do próprio rosto".

Nenhum comentário: