Destaque:

A retrospectiva de Brás Cubas

Tenho grande apreço por Machado de Assis, pois acredito que sua contribuição para a Literatura Brasileira foi muito além de incrementar ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

terça-feira, 3 de setembro de 2002

Da verdadeira obediência

Abu Muhammad al-Jurayry costumava dizer: "A religião possui dez tesouros, que nos enriquecem. São cinco interiores e cinco exteriores. Todos aqueles que seguem o caminho espiritual devem estar conscientes disso.

"Eis os tesouros interiores: capacidade de ser verdadeiro, despreocupação com os nossos bens, humildade na aparência, equilíbrio para evitar dificuldades com os outros, e força para suportar nossa adversidade.

"Eis os tesouros exteriores: descobrir um Amor supremo, despertar o desejo de estar junto a este Amor, ter inteligência para ver as próprias faltas, abrir a consciência da vida, e ser grato pelas bênçãos".

A seguir, algumas histórias da busca espiritual:

A resposta exata

Um mestre e seus discípulos caminhavam pelo campo, conversando sobre os milagres de Deus, quando começou a chover. Todos correram para uma cabana que havia nas imediações.

Chegando ali, o mestre se virou para os alunos:

"Só os deixarei entrar se me derem a resposta exata".

Intrigados, os discípulos ficaram debaixo do aguaceiro, sem saber como agradar o mestre. Tremiam de frio, mas não conseguiam a resposta exata. Finalmente, depois de quase duas horas na chuva, um dos discípulos disse:

"Mestre, o senhor não fez nenhuma pergunta, e estamos aqui como doidos, buscando explicações. Não é sábio ficar procurando problemas, se nenhum problema nos foi colocado".

"Parabéns, esta é a resposta exata à situaçao que nos encontramos", disse o mestre, abrindo a porta.

Longe de todos os olhos

O xeque Junaid tinha um discípulo preferido. Inconformados, os outros foram reclamar.

"Vamos fazer uma prova. Quem vencer, será seu discípulo favorito', disseram eles.

O xeque concordou, e pediu que lhe trouxessem vinte pássaros. Deu um para cada discípulo e ordenou: "Será considerado o melhor aquele que conseguir: cada um deve matar o pássaro num lugar onde ninguém possa ver".

Cada discípulo procurou o lugar mais difícil possível. Todos cumpriram o pedido - exceto o favorito, que trouxe o pássaro vivo.

"Por que descumpriste minha ordem?", perguntou Junaid.

"Porque o mestre disse que tinha que matar esta ave em um lugar onde ninguém pudesse ver", respondeu o discípulo. "Em todas as partes onde fui, Deus estava me olhando."

"Você foi o único a entender meu pedido", disse Junaid. E os outros discípulos pediram desculpas por terem sido invejosos.

Em busca da maldade

Khrisna resolveu testar a sabedoria de seus súditos.

Convocou Duryodhana, um rei conhecido por sua crueldade, e pediu que encontrasse um homem bom em seu reino. Duryodhana viajou durante um ano, e voltou à presença de Khrisna, dizendo:

"Busquei um homem bom, e não encontrei. São todos egoístas e malvados".

Khrisna chamou o rei Dhammaraja, considerado um homem santo. Pediu que percorresse seu reino em busca de um homem malvado. Dhammaraja viajou durante dois anos, e voltou a Khrisna, dizendo:

"Perdoe-me, mas não encontrei ninguém mau. Todos têm um lado bom, apesar dos defeitos".

Então Khrisna comentou com os outros deuses: "Viram? O mundo é um espelho, e devolve a todos o reflexo do próprio rosto".

Nenhum comentário: